-Publi-A-

Em Manaus, coreógrafos e artistas criam projeto para ensinar danças populares brasileiras e internacionais

O projeto será feito no ambiente virtual e tem objetivo de unir artistas da cultura local

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) provocou o cancelamento de vários eventos no Brasil e no mundo, em Manaus não foi diferente. Pensando nisso, os coreógrafos, Elifas Matos, André Durand, Jasson Fonseca e Lenne Soares se juntaram para criarem a ideia de ministrar aulas de dança no ambiente virtual.

O projeto é de autoria do professor André Durand, licenciado em Dança pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA), junto a companhia de dança The Fusion Norte Company, e contemplada pela Lei Aldir Blanc, no edital do Prêmio Manaus de Conexões Culturais 2020, na categoria Dança, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) da Prefeitura de Manaus.

Os professores adotaram o ensino/aprendizagem por meio de vídeos chamadas, vídeos gravados em plataformas digitais mídias e lives, dentro de um espaço preparado para o ensino da dança, como salas de aulas, quadra de esporte e academias.

André Durand, idealizador do projeto, destaca que a ideia é valorizar a cultura e juntar inúmeros profissionais da dança em um único espaço.

“Nossa cidade habitada por pessoas que constroem uma realidade a partir de sua vivência, onde nesta proposta seria mais valorizada se houvesse mais projetos direcionados à sociedade, colocando à disposição alternativas culturais que contribuíssem para a valorização cultural manauara. Desta forma teremos um leque de possibilidades de aprendizagem em qualquer categoria na arte da dança”, comentou.

A iniciativa abrange estilos de dança como: dança do café, carimbó, quadrilhas, boi-bumbá, ciranda, dabke libanês, dança indiana Bollywood, dança espanhola, belly fit, dança do ventre, danças gaúchas e entre outras.

Pontapé inicial – As primeiras aulas aconteceram em novembro a dezembro de 2020, na quadra da Escola Estadual Cid Cabral da Silva, localizada na rua M, conjunto Canaranas, bairro Cidade Nova, zona Norte de Manaus, em parceria com a direção da unidade.

O projeto também aconteceu no calçadão da Ponta Negra, zona Oeste da capital, que contou com a interação das pessoas que passavam no local e respeitando as regras de prevenção da Covid-19.

André ressalta a importância de dar voz e vez aos profissionais da dança que trabalham em prol da cultura local.

“É muito gratificante poder contribuir para a qualidade de vida dos fazedores de danças populares brasileiras e danças populares internacionais na capital amazonense. Isso inclui coreógrafos, ensaístas, alunos de escolas públicas, conhecedores de notório saber. Vamos oferecer amplo conhecimento coreográfico a sociabilidade e poder refletir os diversos aspectos culturais de nossos povos e de outros povos”, conclui.

Sobre o The Fusion Norte Company – O grupo abrange estilos de dança como jazz, danças populares nacionais e internacionais e danças urbanas.

É coordenado pelos coreógrafos André Durant e Elifas Matos, e conta com pessoas de 15 a 45 anos no elenco.

A companhia já participou de vários, entre eles, o Festival de Dança de Joinville, Santa Catarina, e no Festival da Canção de Itacoatiara (Fecani), no interior do Amazonas.

*Texto: João Paulo Castro*
*Fotos: Divulgação*

você pode gostar também