-Publi-A-

Em posse prefeito Bi Garcia afirma que começará instalar os primeiros leitos de UTI em Parintins no mês de março

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

Parintins (AM) – Após ser empossado para o quarto mandato de prefeito de Parintins nesta sexta-feira, 1° de janeiro, Bi Garcia, em seu discurso, falou que começará a instalar em março os primeiros dos 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) que serão divididos entre os hospitais Padre Colombo e Jofre Cohen, sendo seis adultos, dois pediátricos e dois neonatais.

Os equipamentos serão comprados pela empresa Celeo Redes Brasil S.A, responsável pela construção do Linhão de Tucuruí que ligará Parintins ao sistema nacional de energia elétrica, e repassados ao município como antecipação de parte do imposto que o município iria recolher da empresa durante as obras da linha de transição Oriximiná/Juruti/Parintins.

No mês de junho do ano passado a Prefeitura definiu aquisição dos leitos de UTI com a Celeo Redes Brasil S.A orçados em R$ 4,1 milhões. Para a segurança jurídica, foi criada a Lei nº 011/2020 – PGMP que institui o Programa de Compensação de Tributos aos Contribuintes de Imposto Sobre Serviços (ISS) para obtenção de recursos financeiros e equipamentos para o sistema de saúde do município. O Projeto de Lei foi aprovado pela Câmara Municipal de Parintins e sancionado pelo prefeito Bi Garcia em julho de 2020. Para aprovação, a propositura foi posta para análise da população em audiência pública remota promovida pelo legislativo. Além disso, os trâmites para aquisição dos leitos de UTI foram acompanhados pelo Ministério Público e Defensoria Pública.

“Nós estamos sim preparados para os primeiros equipamentos que chegam em março proveniente da compra das UTIs na parceria entre Prefeitura e Celeo tanto que estamos negociando com o Governo do Estado na contratação de profissionais para brevemente funcionarmos as UTIs em Parintins”, disse Bi Garcia para o Portal Parintins 24 horas.

Parintins será o primeiro município do interior do Amazonas a ter leitos de UTI realizando atendimento de alta complexidade de habitantes dos municípios do Baixo Amazonas e oeste do Pará.

você pode gostar também