-Publi-A-

Em visita a Tefé e Alvarães, Saullo Vianna reforça compromisso com interior do Amazonas

O deputado estadual Saullo Vianna (PTB) visitou os municípios de Tefé e Alvarães, nesta sexta-feira (20), onde apresentou ações do seu mandato, além de escutar as demandas das cidades. O parlamentar falou sobre a necessidade de investimentos no interior, dando oportunidade de renda às famílias. Na oportunidade, ele também discutiu sobre as principais problemáticas da região.

Durante as visitas, Saullo conversou com lideranças e moradores e destacou a importância dos trabalhos desenvolvidos no interior, que geram desenvolvimento para o Estado, principalmente por meio do Setor Primário.

“Essa visita é para reafirmar o nosso compromisso, para que a gente possa cada vez mais ajudar a desenvolver a aquicultura familiar, e outras atividades. O Setor Primário gera riqueza e renda para o homem do interior, dando dignidade e garantindo sua subsistência, para que, por meio do seu suor, do seu trabalho, ele possa se desenvolver, e que seus filhos tenham a mesma oportunidade”, disse.

O deputado destacou, ainda, os trabalhos que vem desempenhando na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), para o fortalecimento, fomento, financiamento e criação de leis que possam fortalecer as atividades do Setor Primário desenvolvidas no interior.

“Nós temos feito, na Assembleia, um trabalho muito grande voltado para o Setor Primário, principalmente, na questão que é um grande entrave: o licenciamento ambiental. Nós estamos tentando ajudar, deixar esse legado como parlamentar, para trazer o desenvolvimento que nosso interior precisa e merece”, acrescentou.

Telefonia móvel

Dentre os problemas relatados pelos moradores dos municípios, o serviço de telefonia móvel tem sido o principal. Segundo Saullo, a dificuldade na comunicação é um problema que tem atingido todos as cidades do interior do Amazonas. O deputado afirmou que pretende tomar medidas judiciais, por meio de uma ação civil pública.

“Eu vou me juntar com alguns colegas deputados, para que a gente possa entrar com uma ação civil pública contra as empresas de telefonia, para que, enquanto não melhorarem os serviços, fiquem impedidas de vender novas linhas. Se com a quantidade de usuários que ela tem hoje, ela já não consegue atender, conforme vai realizando mais vendas, isso vai sobrecarregando cada vez mais. E a tendência é que entre em pane”, afirmou.

você pode gostar também