-Publi-A-

Enchente em Parintins: águas avançam a novas áreas e ruas se transformam em rios

A elevação do rio Amazonas aumenta a cada dia e transforma o cenário em Parintins. Nesta sexta-feira, 14, o nível das águas chegou a 9,36m, marca 0,8cm maior que o registro da cheia de 2009 (9,28m), considerada uma das maiores na região. Esta semana novas áreas do município foram atingidas e ruas parecem pequenos rios que cortam a cidade. Famílias desabrigadas, comércios fechados e trânsito comprometido são alguns dos problemas gerados pelo fenômeno natural.

Feira da Ponte Amazonino Mendes

Pontos de grande movimento de Parintins foram invadidos pelas águas. A rua Dom Gino Malvestio, no Itaúna II, área conhecida como Feira da Ponte Amazonino Mendes, foi totalmente inundada. O local conhecido pelo comércio de peixes teve que ser interditado. A medida, apesar de necessária, compromete a venda e, consequentemente, a vida dos feirantes. Aos poucos o assoalho do box do comerciante, Rodrigo Macêdo, é engolido pela águas. Ele improvisou uma ponte para continuar recebendo clientes. “Contra forças da natureza ninguém pode se questionar. Então, a gente vai se adaptando. Até o momento a gente está se virando como pode aqui no caso das marombas. Cada um está procurando fazer seu acesso. O comércio também vai ficando um pouco fraco com certeza. A gente não tem outra saída”, lamentou.

rodovia Odovaldo Novo, no trecho em frente à Cidade Garantido.

Outra área recentemente afetada é a rodovia Odovaldo Novo, no trecho em frente à Cidade Garantido. Neste local, o principal problema é o trânsito. Pessoas e veículos dividem o mesmo espaço alagado. O jovem Rainer Marchão trabalha na área e informa que uma das maiores reclamações é quanto a falta de educação das pessoas, que não se importam com o próximo e acabam passando pelo trecho molhado em alta velocidade. “As pessoas não querem saber se vai molhar, principalmente, os pedestres. Por exemplo, de pessoas mal-educadas, eles estão vendo a pessoa, mas ao invés de diminuir a velocidade pra não molhar, parece que acelerando mais, querendo passar rápido. Então, o certo ou a orientação seria diminuir a velocidade”, ponderou.

Sobre o tráfego, o presidente da Empresa Municipal de Trânsito e Transporte (EMTT), Diego Mascarenhas, afirma que a entidade atua nas áreas para organizar e redirecionar pessoas e veículos. “Nós estamos interditando algumas vias, redirecionando o fluxo de veículos pra outras vias que estejam transitáveis com a parceria sempre da Secretaria de Obras, que tem nos ajudado bastante, construindo passarelas e fornecendo cavalete pra que a gente possa interditar algumas vias. Então, a gente tem feito um trabalho, um estudo, levantamento das ruas que os trechos vão ser interditados”, explicou.

O coordenador da Defesa Civil em Parintins, Adriano Aguiar, vistoriou as novas áreas afetadas pela enchente e apresentou medidas que são realizadas para minimizar os impactos aos moradores. “No trecho da ponte Amazonino Mendes, juntamente, com a Secretaria de Produção, existe a possibilidade de minimizar o máximo as pessoas e deslocar os comerciantes para outros lugares. Na área da Cidade Garantido, em parceria com a EMTT, serão utilizados gradis pra diminuir tráfego de veículos pesados naquela região”. Adriano adiantou ainda que a parte elétrica da Cidade Garantido pode ser desligada como medida de segurança.

você pode gostar também