Estação de tratamento de água do rio Amazonas entra em estudo para implantação em Parintins

Com a contaminação da água consumida pela população de Parintins, por nitrato, alumínio e/ou amônia de, pelo menos, 14 poços dos 28 existentes na ilha, Parintins tem um prazo de 60 dias para apresentar um estudo prévio de viabilidade de implantação da Estação de Tratamento de Águas – ETA, no município, com captação superficial da água do Rio Amazonas. Essa uma das principais obrigações firmadas, em reunião do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPAM), em Manaus, na quarta-feira (05).

A contaminação dos poços artesianos de Parintins, detectada em levantamento feito pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), teria como causa principal a falta de um sistema de coleta e tratamento de dejetos domésticos na cidade. A Procuradora-Geral de Justiça do Amazonas, Leda Mara Albuquerque debateu a problemática com representantes do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), CPRM, Prefeitura de Parintins e Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae).

Após análise conjunta das possíveis soluções disponíveis, ficaram definidas as seguintes providências a curto prazo: 01) Executar, em até 60 dias, a perfilagem geofísica/ótica de todos os poços que permanecerão sendo usados e os 5 poços novos, que não estão em atividade; 02) Iniciar, em até 90 dias, o processo de alcalinização das águas do abastecimento da cidade, visando a elevar o pH e clorar, para eliminação dos organismos nocivos; 3) Apresentar e executar um cronograma de desativação gradual dos poços que apresentaram alto teor de contaminação e a consequente regularização e licenciamento ambiental dos poços que permanecerem em funcionamento.

A reunião no Ministério Público ocorreu a pedido do Ipaam, após recebimento do levantamento do CPRM sobre a situação da água de Parintins. A Procuradora-Geral estava acompanhada do promotor de Justiça Paulo Stélio, coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça Especializadas na Defesa do Meio Ambiente, Patrimônio Histórico e da Ordem Urbanística (CAO-MAPH-URB). “Esse encontro foi no sentido de viabilizar que sentassem na mesma mesa o Ipaam, a CPRM, que foram responsáveis pela análise feita da água de Parintins e o prefeito do município juntamente com a chefia do MP”, afirma Leda Mara Albquerque.

O prefeito de Parintins, Frank Bi Garcia, comunicou aos representantes das instituições públicas que já havia discutido na Secretaria de Estado da Infraestrutura e Região Metropolitana (Seinfra) o projeto para a implantação do Programa de Saneamento e Esgoto, no município. O administrador municipal também garantiu que está inserido nas metas do plano de governo da Prefeitura de Parintins a construção da Estação de Tratamento de Água (ETA), com captação do rio Amazonas para garantir qualidade de vida à população.

Os presentes assinaram o compromisso de agendar reunião do grupo de trabalho com o Governo do Amazonas, para buscar parcerias tendentes a construção de novos poços e da Estação de Tratamento de Água. “A ideia, aqui na reunião, é fazer com que a Prefeitura de Parintins, junto com o Governo do Estado, apresente uma proposta de implantação de uma estação que faça a captação de água direta do rio Amazonas”, indica o diretor-presidente do Ipaam, Juliano Souza.

Com informações do Ministério Público

você pode gostar também