Estelionatário preso no AM desviou R$ 12 milhões com golpe no DF e Piauí

O delegado Carlos Augusto Monteiro, titular do 17º Distrito Integrado de Polícia (DIP), falou nesta terça-feira (12/2), durante coletiva de imprensa, sobre o cumprimento de mandado de prisão preventiva por estelionato em nome de Laercio Araújo Sousa, 53, efetuada na manhã de segunda-feira (11/2), por volta das 11h30, pela equipe do 17º DIP, em uma casa situada na comunidade Rio Piorini, bairro Colônia Terra Nova, zona norte de Manaus.

De acordo com a autoridade policial, o mandado de prisão preventiva em nome do infrator foi expedido pela Comarca de Esperantina, no Estado do Piauí. Laercio passou a ser investigado por crime de estelionato quando a equipe de investigação da unidade policial realizava diligências no bairro Redenção, zona centro-oeste da cidade, e o nome do infrator foi citado por um dos investigados. Em seguida, os policiais civis solicitaram informações sobre a identidade dele ao Laboratório de Inteligência Cibernética do Departamento de Inteligência da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça (MJ).

“Em contato com o delegado Leonardo Alexandre, titular da Delegacia Regional de Esperantina, descobrimos que o infrator estava sendo investigado por enganar pessoas por meio de consórcios de imóveis, motocicletas e carros. Laercio formava grupos de 50 pessoas e quando elas eram contempladas ele ficava com os prêmios. O elemento, dono da empresa Esperantina Prêmios, fazia uso do empreendimento para praticar o crime. Com esse golpe ele enganou cerca de 950 pessoas, principalmente no Distrito Federal e Piauí”, explicou Monteiro.

Mãe envolvida – Conforme o titular do 17º DIP, toda a administração da Esperantina Prêmios era executada pela mãe de Laercio e pelo próprio infrator. O homem seria responsável por um desvio de R$ 12 milhões somente em Esperantina, fazendo uso de modalidade criminosa conhecida como “compra premiada”. Além disso, foi descoberta a existência de outra empresa no nome da mãe dele, apenas para a compra de motocicletas utilizadas nos golpes de consórcios.

Monteiro ressaltou que Laercio se apresentava para as pessoas utilizando o nome do próprio filho dele. Já em Manaus, o infrator estava usando o nome da sogra dele para efetuar a compra de semijoias, apreendidas com ele no dia da prisão. “Ele, possivelmente, usaria esse tipo de mercadoria para lavar o dinheiro que desviou por meio dos consórcios. A equipe do 17º DIP ainda está investigando se a compra desse material ocorreu de forma lícita”, pontuou.

Os trabalhos em torno da prisão de Laercio contaram com o apoio da Delegacia Regional de Esperantina e Laboratório de Inteligência Cibernética do Departamento de Inteligência da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça (MJ).

Indiciamento – Laercio foi indiciado por estelionato. Ele irá permanecer custodiado na carceragem do 17º DIP, aguardando os trâmites judiciais entre os estados do Amazonas e Piauí.

Foto: Erlon Rodrigues

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here