Ex-delegado que matou advogado em casa noturna falta interrogatório sobre suspeita de soltar preso sem autorização no AM

O ex-delegado Gustavo Sotero, que é alvo de uma sindicância na Corregedoria da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas por suspeita de ter soltado um preso sem autorização da Justiça, não compareceu ao interrogatório sobre o caso que estava marcado para esta terça-feira (29).

 

A reportagem tenta contato com a defesa do ex-delegado, mas até o momento não obteve resposta.

 

Sotero foi exonerado do cargo após matar um advogado em novembro de 2017 dentro de uma casa noturna na Zona Oeste de Manaus. Outras três pessoas também ficaram feridas. Agora, o ex-delegado cumpre pena no regime semiaberto.

 

O interrogatório ia ser comandado pelo delegado Fabiano Falabella Veiga, que é a autoridade sindicante, e estava marcado para acontecer às 9h na sede da Corregedoria de Polícia.

 

A reportagem, a Secretaria de Segurança Pública disse que o citado não compareceu, mas foi notificado do procedimento pelo Diário Oficial do Estado (DOE), pois não recebia as notificações em casa.

 

Agora, segundo a SSP, a corregeria vai tomar as providências legais cabíveis contra Sotero, obedecendo à legislação pertinente.

 

A sindicância foi aberta em fevereiro e apura se o ex-delegado permitiu um detento de se ausentar de uma unidade prisional do município de São Gabriel da Cachoeira, sem a devida autorização judicial, supostamente para trabalhos externos e outras atividades.

 

A denúncia teria chegado à Unidade de Apuração de Transgressões Disciplinares no dia 7 de dezembro de 2018, e tem como base uma lei ordinária do Amazonas de 2008, que institui o regime disciplinar da Polícia Civil do estado.

 

Com informações do g1

você pode gostar também
..