-Publi-A-

FDN propõe pagamento pela execução de policiais e juízes no AM

Uma mensagem atribuída à facção criminosa Família do Norte (FDN), distribuída nesta segunda-feira (7), está causando terror na população da cidade de Manaus. Nela, é proposto um preço pelas mortes de policiais militares, integrantes da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam), delegados da Polícia Civil, promotores e até mesmo juízes do estado.

No comunicado, ao qual a reportagem teve acesso, o autor da mensagem diz que os “irmãos número 1 e número 2 estão muito tristes com a Justiça do Amazonas”. Supostamente, o número 1 e o número 2 seriam os narcotraficantes João Pinto Carioca, o “João Branco”; e José Roberto Fernandes, o “Zé Roberto da Compensa”.

Os valores variam entre R$ 10 mil e R$ 100 mil, e ainda há um prêmio pelas mortes de juízes e promotores: cargos no conselho gestor da Família do Norte. Além disso, segundo a mensagem, a facção está disponibilizando recursos financeiros “da caixinha” para a compra de carros e armas, para o cumprimento das missões estabelecidas.

Prisão

João Branco está detido no presídio federal de Catanduvas (PR) desde 2016. Além de dividir a chefia da FDN com Zé Roberto da Compensa, João Branco é apontado como um dos mandantes do assassinato do delegado Oscar Cardoso Filho, da Polícia Civil do Amazonas, em março de 2014.

Já “Zé Roberto da Compensa” está custodiado no presídio federal de Campo Grande (MS) desde o ano de 2015, por causa da operação “La Muralla”, da Polícia Federal. Ele foi condenado a 48 anos e cinco meses de prisão, junto com Alan Souza Castimário, o “Nanico”, e Cleomar Ribeiro de Freitas, o “Copinho”.

João Branco e Zé Roberto ainda controlam o tráfico e a gestão da Família do Norte desde os respectivos presídios onde estão sob custódia, de acordo com investigações. A motivação para as mortes, segundo a mensagem, seria o fato de a Justiça amazonense não estar revendo as “injustiças” feitas contra os chefes da facção, que estão presos desde 2015 e 2016.

“Até a Justiça do Amazonas não rever essas injustiças estamos em guerra com as autoridades. Eles pegam dinheiro do CV para não trazer os irmãos”, diz o comunicado.

Segurança

Em nota, o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) informou que sempre adotou as medidas cabíveis em relação à segurança dos juízes e continuará exercendo as atividades normalmente. A reportagem tentou contato com o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), com a Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM),  e com a Polícia Civil do Amazonas, mas até a publicação desta matéria, não obteve retorno.

A equipe do EM TEMPO também questionou o delegado Guilherme Torres, titular do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), sobre a situação. O mesmo informou que acabou de receber a mensagem, supostamente associada à FDN. Segundo ele, será difícil encontrar o autor, mas o departamento irá verificar se as informações da mensagem realmente procedem.

Represália

Outra mensagem passou a circular na tarde desta segunda-feira, supostamente atribuída a policiais militares. Segundo o comunicado, para cada PM morto no Amazonas, 30 bandidos morrerão, e os demais serão caçados dia e noite, sem sossego.

“Se mexer com algum familiar de polícia inocente, exterminaremos suas famílias nas visitas aos presídios. Quem mantém a lei e a ordem somos nós, os policiais militares”, diz um trecho da mensagem.

Com informações do Em Tempo

você pode gostar também