Fé e emoção marcam a peregrinação da imagem de Nossa Senhora do Carmo

'Eu sou o milagre', diz devota que acredita ter vencido a Covid-19 por intercessão de Maria

Foto: Gilson Almeida.

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

Parintins (AM) – A peregrinação da imagem de Nossa Senhora do Carmo realizada nesta sexta-feira, 16, foi marcada por fé e emoção à santa. Em Parintins, a imagem da Virgem do Carmelo foi conduzida pelas ruas da cidade no carro do Corpo de Bombeiros, escoltado pela Polícia Militar. Mesmo sem o convite da diocese para evitar aglomeração de pessoas, uma multidão de fiéis acompanharam a imagem de moto e carro.

Foto: Gilson Almeida.

A imagem saiu da Praça da Catedral às 16h30 com o trajeto Avenida Amazonas (sentido São Benedito), Rua São Benedito, Avenida Nações Unidas (Igreja de São José Operário), Rodovia Odovaldo Novo, Estrada do Macurany, Rua Geni Bentes, Rua 24 de Janeiro, Rua Pe. Augusto Gianola (Igreja de São Sebastião), Rua Augusto Gianola, Ponte Amazonino Mendes, Rua Barreirinha, Rua Pe. Victor, Rua Fortaleza (Igreja de N. S. de Lourdes), Rua José Esteves, Rua Rio Branco (até a Igreja do Sagrado Coração de Jesus), Rua Vieira Junior (casa Episcopal/Porto de Parintins), Rua Gomes de Castro e Av. Amazonas, retornando para a Catedral às 18h30.

Os devotos ornamentaram a frente de suas casas para o cortejo à santa e se emocionaram com a passagem da imagem de Nossa Senhora do Carmo, assim como a dona Rita Carmem, que está completando 58 anos hoje. Dona Rita não segurou as lágrimas somente por receber a visita da imagem da santa no dia de seu aniversário, mas também por acreditar que foi pela intercessão de Maria que ela venceu a Covid-19. “Eu fui vítima da Covid-19. Perdi meu pai, também vítima da Covid-19, minha mãe ficou internada comigo na mesma enfermaria, fiquei 10 dias internada e sou um milagre por intercessão de Maria, dos meus familiares que oraram e pediram à Virgem do Carmo e hoje estou aqui graças à Deus”, desabafou.

Outro ponto marcante no evento foi a queima de fogos no Cais do Porto que há décadas os devotos católicos prestam essa homenagem a padroeira de Parintins.

A programação encerrou com a Santa Missa na Catedral feita pelo bispo Dom Giuliano Frigenni e demais padres da diocese. A celebração da missa foi feita com o número reduzido de fiéis e com marcação de 1,5 metro de distância entre as pessoas para evitar o contágio da Covid-19.

Foto: Gilson Almeida.
você pode gostar também