Fé em meio a pandemia: católicos vivem Festa do Carmo de forma diferente

Foto: Paulo Sicsú.

Eldiney Alcântara | 24 Horas
[email protected] 

Pelo segundo ano consecutivo a festa da padroeira de Parintins, Nossa Senhora do Carmo, acontece de forma diferente. Um festejo religioso movido pela fé católica, que agora segue as limitações impostas pelas medidas protetivas e preventivas à Covid-19. Para aqueles que todos os anos vivenciam momentos de promessa, oração, comemoração e trabalho, a celebração é feita à distância, mas se mantém fervorosa para muitas pessoas.

Este ano a festa não contou com círio, não haverá procissão e arraial, as missas e novenários recebem apenas 50% da capacidade. Para aproximar as pessoas os eventos religiosos tem transmissão pelo rádio e live na internet. Com isso, o fiel católico precisou vivenciar a festa em casa e em pequenos momentos compartilhados. Promessas e antigas rotinas precisaram ser alteradas.

O parintinense Antônio Estefano Batista, 61, é casado com a manauara Helena de Souza Batista, 55. Eles moram em Manaus, porém, participam da festa há mais de dez anos. Devido a pandemia, há dois anos não conseguem vir à Parintins. Mesmo distante, eles participam das celebrações. “Nós, aqui de Manaus, acompanhamos via internet na certeza que em breve todos nós poderemos estar reunidos fisicamente pra juntos aclamarmos Nossa Senhora e cumprirmos nossas promessas em virtude de bênçãos recebidas”, conta dona Helena.

A artesã Sandra Mendes, 34 anos, frequenta a paróquia de São José Operário e sempre acompanha os festejos em honra a Nossa Senhora. Ano passado ela foi acometida pela Covid-19 e ficou doente em casa por algumas semanas. Com fé, fez a promessa de confeccionar 50 terços para doar às pessoas. Usando técnica de macramê, ela utilizou sementes de açaí, cordas e crucifixo de madeira para produzir as peças. “Minha irmã fazia promessa e veio essa ideia de quando eu melhorasse dessa doença ia fazer também”, disse.

“Nós estamos vivendo um momento muito importante pra nossa fé como católicos, como cristãos. Hoje nós precisamos muito dessa fé. Precisamos muito de esperança, precisamos muito de acreditar realmente que nós temos alguém que nos proteger que é que Deus pode realmente fazer tudo isso. E ele precisa que a gente tenha fé”. Essas são as palavras de Lázaro Ferreira, que participa ativamente de movimentos da igreja. Para ele, a festa da padroeira de Parintins é uma demonstração clara do povo que acredita em Deus. “A festa de Nossa Senhora do Carmo é um sinal, é um indicativo de que a gente precisa buscar Jesus, precisa buscar a fé”, explica.

A festa de Nossa Senhora do Carmo acontece de 6 a 16 de julho. Este ano tem como tema “Maria, esposa de José, mãe e auxílio dos cristãos” e o lema “Salve guardião do Redentor! Mostrai-vos pai também para nós”.

você pode gostar também