-Publi-A-

Feira de Quintais uma nova tendência

Josene Araújo | 24 Horas

[email protected]

Parintins- Dos quintais vem hortaliças, plantas medicinais, ornamentais, flores, frutos, produção que invade praças e espaços públicos, despertando uma nova tendência com a Feira de Quintais.

A terceira edição aconteceu neste sábado(04) na praça da antiga prefeitura. A oportunidade se expandiu para os artesãos e os trabalhadores do comércio informal, a exemplo da tenda de cuidados.

O movimento visa a garantia da segurança alimentar, com produtos livres de agrotóxicos, uma alternativa para a transformação do lixo orgânico em adubo, renda para as famílias e o despertar para o cuidado com o planeta.

Compartilhando saberes e resgatando a prática popular dos quintais, a coordenadora do projeto Teia, de Educação Ambiental e Interação Agroflorestal Fátima Guedes, ressalta a importância da renda, a valorização dos quintais e o incentivo a produção. ” O importante é o despertar humano e o cuidado com a vida. Com a terra, os bichos, os microorganismos, a água, o ar, conjunto necessário para melhor qualidade de vida” ressalta. Os guardiões da diversidade como vem sendo chamados os participantes, destacam-se pelas descobertas da medicina natural e suas propriedades.
De flor roxa, a Perpétua-do-Brasil, Alternanthera brasiliana (Gomphrena b.) está entre tantas descobertas com influência na medicina alternativa.” O carroço de abacate, mangarataia, o capim santo , o mastruz todos tem uma resposta medicinal, vamos redescobrindo” assegura.

O gerenciamento correto dos resíduos sólidos é um dos grandes desafios ambientais da atualidade, o movimento trabalha a linha orgânica com a proposta de redução do lixo. ” Identificamos que eles não mandam mais para a lixeira pública. O orgânico é enterrado para as plantas e o seco entregue em quatro pontos”, informa Fátima.

O que começou tímido tem a tendência de expandir em breve, sensibilizando os poderes para as parcerias com projetos sociais e assegurando mais vida ao planeta.

você pode gostar também