Feirantes montam bancas de pescado ao lado da ponte Amazonino Mendes no Paulo Corrêa

Um grupo de 36 feirantes ocuparam na tarde de segunda-feira, 1º de agosto, uma área de terra ao lado da ponte Amazonino Mendes, no Paulo Corrêa, com a justificativa de construir box comerciais para serem utilizados como banca para a venda de pescado.

De acordo com um dos líderes da ocupação, o feirante Adalberto Maciel Ferreira, entre os ocupantes da área estão pais de família que antes trabalhavam nos box da Feira Zezito Assayag, na rua Paraíba. Ele disse que com a interdição e desativação daquele espaço as pessoas tiveram que procurar outro local para trabalhar. “A nossa alternativa foi pagar aluguel nas feiras da rua três no Paulo Corrêa. Só que no começo eles cobravam R$ 50,00 e agora o aluguel passou para R$ 80,00 por semana”, disse.

O feirante Adalberto Ferreira afirmou que o alto preço cobrado pelo uso das bancas particulares na feira do Paulo Corrêa impossibilita que os trabalhadores tenham um lucro satisfatório, que muitas vezes o arrecadado dá somente para pagar o dono da banca. “Por isso estamos construindo nossas bancas aqui”, disse.

Adalberto Ferreira explicou que desde o fechamento da Feira Zezito Assayag para a execução da obra da rua Paraíba o grupo ficou sem uma alternativa de trabalho por parte da administração municipal. Adalberto informou que a construção de uma feira para a comercialização de pescado foi prometida no período eleitoral pelo atual prefeito Alexandre da Carbrás. “Ele prometeu para gente que iria construir nossa feira e até hoje nada”, cobrou.

O secretário municipal de Produção e Abastecimento, Nilzomar Barbosa, procurado pela reportagem disse que aquela área é de responsabilidade da Marinha do Brasil e o setor da administração municipal que poderia dar informações sobre as medidas cabíveis para a ocupação da área seria a Procuradoria Geral do Município.

Nilzomar assegurou que no cadastro da Secretaria Municipal de Produção e Abastecimento consta entre 15 pessoas que exerciam atividade de venda de pescado na Feira Zezito Assayag. “Vamos ter uma reunião hoje (02.08) com o prefeito e vou perguntar pra ele sobre essa invasão”, disse.

O secretário municipal de Obras, Luciano Saraiva, informou que existe um projeto para a revitalização da Feira Zezito Assayag, incluindo a elevação do piso do espaço para se igualar ao nível da rua Paraíba e por esse motivo a feira ainda não foi liberada para os feirantes. “O projeto ainda não foi concluído por falta de recursos da administração municipal, uma vez que não temos outra ajuda financeira do Governo do Estado para concluir a obra”, assegurou.

 

Marcondes Maciel | RP

você pode gostar também