Felipe Wu atira por medalha na pistola de 10m neste sábado

RIO — Noventa e seis anos depois de o tiro esportivo ter conquistado as primeiras medalhas olímpicas do Brasil, nos Jogos da Antuérpia, Felipe Wu carrega a esperança de colocar novamente um brasileiro do esporte no pódio. Neste sábado, às 13h, o paulista de 24 anos compete na prova de pistola de ar de 10 metros.

Líder do ranking da Federação Internacional de Tiro, Felipe é um dos favoritos para tentar desbancar o domínio do sul-coreano Jin Jong-Oh, dono de três medalhas de ouro e duas de prata. Além de Felipe, outro brasileiro, Julio Almeida, vai disputar a prova no Centro de Tiro Olímpico em Deodoro. Antes, às 8h30m, a brasileira Rosane Budag disputa a prova de carabina de ar de 10 metros, que dará a primeira medalha do Rio-2016.

O espírito está bom. Estou animado e ansioso. Tenho que estar muito atento amanhã (hoje). Queria estar treinando melhor, mas mesmo nesse nível acho que dá para conseguir um bom resultado — disse Felipe.

Um dos esportes mais tradicionais dos Jogos Olímpicos, o atletismo é disputado desde Atenas 1896, primeira edição da era moderna. Dividido entre as provas de pista e campo, hoje, é a modalidade que distribui o maior número de medalhas: 141, sendo 47 de ouro.

Campeão de duas etapas de Copa do Mundo neste ano, Felipe Wu vem sofrendo com um problema que o fez diminuir um pouco o ritmo dos treinos.

Estou com uma dor no ombro direito há duas semanas e estou me poupando um pouco. Eu não estava treinando tão bem, mas quinta e hoje (ontem) o treino foi bom.

COREANO A SER BATIDO

A grande pedra no caminho de Felipe Wu se chama Jin Jong-Oh. Aos 36 anos, o sul-coreano foi ouro em Londres na pistola de ar de 10m e na pistola de 50m. Em Pequim, foi ouro na pistola de 50m e prata na pistola de 10m. É considerado um fenômeno do esporte.

Ele é o cara a ser batido — admite Felipe.

Atleta do tiro esportivo desde os 17 anos, Jin Jong-Oh diz que a dedicação total ao esporte é o segredo do seu sucesso.

Você tem que colocar sua mente no esporte. Desde os 17 anos eu não penso em mais nada além do tiro. Sou realmente apaixonado pelo esporte — disse, em entrevista por e-mail ao GLOBO.

Dizendo não ter preferência entre as provas de 10m e 50m, o sul-coreano aposta no brasileiro como seu principal adversário na briga pelo ouro amanhã.

Acho que meu principal rival será o Felipe Wu. Seu desempenho neste ano tem sido fantástico.

O Globo

você pode gostar também