Fisioterapeuta teve morte por afogamento, mas polícia prende suspeito de homicídio

O estado avançado de decomposição do corpo do fisioterapeuta Hugo Dias, com cerca de 40% de massa devorado por peixes, dificultou o exame de necropsia feito pelo Instituto Médico Legal (IML), na manhã desta segunda-feira, (13). O médico legista Jorge de Paula Gonçalves concluiu que a morte se deu por afogamento.

Na sala do IML, conforme informações do auxiliar de necropsia, Benedito Pimentel, o corpo da vítima passou por perícia, nas áreas específicas do crânio, tórax e abdômen, mas não foi encontrado nenhum tipo de fratura ou perfuração. O médico legista Jorge de Paula Gonçalves atestou asfixia por afogamento como causa morte.    

A Polícia Civil apura as circunstâncias da morte do fisioterapeuta e a delegada Alessandra Trigueiro determinou a prisão em flagrante de Alexandro Barros de Souza, 23 anos, por homicídio. O investigador, José Maria Castro, diz que há controvérsias no depoimento do suspeito. “Não temos dúvida sobre a autoria, mas queremos saber o motivo”, afirma.

Alexandro de Souza

Imagens de câmeras de segurança mostram que Alexandro de Souza desceu com Hugo Dias na escadaria da tamaquaré, onde passou mais de meia hora. O fisioterapeuta desapareceu, após sair do Pare e Compre Conveniência, na Avenida Amazonas, na madrugada de domingo, (12). O corpo da vítima foi encontrado nesta segunda-feira, (13).

Por: Gerlean Brasil

Fotos: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here