Folha Uol presta homenagem à Tadeu de Souza

Jornalista, declarou seu amor ao estado do Amazonas

José Tadeu Noronha de Souza, conhecido como Tadeu de Souza. Era paraense, mas sua vida foi construída em Parintins, no Amazonas – Reprodução

Garimpar sebos era uma das atividades preferidas do jornalista, radialista e apresentador José Tadeu Noronha de Souza —conhecido como Tadeu de Souza.

Quando viajava a paixão pela leitura e pelo Amazonas incentivava a busca por títulos que abordavam temas relacionados ao desenvolvimento do estado.

Apesar de ter nascido em Belém (PA), foi Parintins (AM) que conquistou seu coração.

“Ele ficava horas nos sebos. O Tadeu deixou uma biblioteca com quase 4.000 títulos que ficarão à disposição dos estudantes da cidade. Foi o pedido que fez antes de morrer”, conta a esposa Jossineias Farias, 43.

Para declarar o amor pela companheira ou falar com as duas filhas sobre a importância da família, Tadeu de Souza utilizava o outro dom que a comunicação lhe deu: a escrita.

Tadeu de Souza e a esposa Jossineias Farias

“Só no primeiro ano de namoro, ele compôs 450 poemas para mim. Também escreveu crônicas, poesias e contos para complementar as longas conversas com as filhas. Para elas, Tadeu foi muito mais que um pai e um amigo”, diz Jossineias.

Quando estava em casa, tinha prazer em cozinhar. O peixe, que faz parte da culinária da região, nunca foi o prato principal.

“No período que morou em São Paulo para cursar jornalismo, ele aprendeu com os colegas a gostar de  churrasco e de sopas, e incorporou sua preferência à nossa cozinha”, lembra Jossineias.

Tadeu de Souza comandava o programa Agora Parintins, na afiliada do SBT no Amazonas.

O jornalista foi um dos fundadores da Academia Parintinense de Letras. Morreu em 6 de agosto, aos 58 anos, de infarto. Deixa esposa, duas filhas e uma neta.

Com informações da Folha.UOL

você pode gostar também