Forças de segurança prenderam 510 pessoas em operações integradas focadas no combate ao tráfico e homicídios

Até a última semana, as forças de segurança pública efetuaram 23 operações policiais integradas sob a coordenação da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM). Desenvolvidas com base em levantamentos de inteligência das polícias, as ações focaram, principalmente, no combate ao tráfico de drogas, roubos e homicídios. No período, foram 510 prisões e a apreensão de 41 adolescentes envolvidos em ocorrências criminais. O saldo inclui, ainda, a captura de 55 armas de fogo e a apreensão de mais de 100 quilos de drogas e R$ 100 mil em espécie.

As operações de grande porte seguem determinação do governador Wilson Lima e são coordenadas pelo secretário de segurança, coronel Louismar Bonates. Além de Manaus, onde se concentrou a maior parte das ações, municípios como Parintins, Manacapuru, Lábrea, Presidente Figueiredo e Novo Airão também foram alvos de operações envolvendo as polícias Civil e Militar.

A maioria das prisões se deu por crimes como tráfico de drogas, homicídio, estupro, violência doméstica, porte ilegal de arma, roubo e furto. E ocorreram em cumprimento a mandados de prisões, busca e apreensão e em flagrante. “Nossas operações pretendem devolver segurança à nossa população. É o Estado voltando a ocupar o seu espaço na cidade. Entre um trabalho integrado de todos os órgãos do sistema de segurança e o indispensável apoio da sociedade, que nos auxilia através de denúncias anônimas”, destacou o secretário de segurança.

De janeiro até maio, foram deflagradas cinco fases da operação Pilar, além da Laborum Meta, Pronta Resposta, Cidade das Trevas e Nero. Das ações realizadas, quatro foram focadas no crime de homicídio, realizadas com base em investigações da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Ayrton Norte, afirmou que além das grandes operações, os municípios também contam com ações integradas de pequeno porte ao longo do ano, focadas em levantamentos locais de inteligência. “Essas operações demonstram o forte trabalho que as forças policiais do Estado estão desenvolvendo para combater o crime organizado. Nós vamos saturar, sufocar e prender os criminosos”, afirmou.

você pode gostar também