-Publi-A-

Funcionário filmava vereadoras e assessoras no Banheiro da Câmara de Parintins

Investigação deve revelar nos próximos dias o nome do autor

A Câmara Municipal de Parintins entrou no mês de setembro como destaque de forma negativa nas redes sociais e mídias tradicionais ao ser revelado na Polícia Civil, no dia 1º de setembro, que um funcionário, de nome até o momento não revelado pelas autoridades, montou esquema de captação de áudio e vídeo dentro de um dos banheiros femininos. Ou seja,  um “big brother Legislativo”. O alvo principal seria vereadoras, assessoras parlamentares e as funcionárias da Casa do Povo.

Informações apuradas dão conta que o “transloucado sexual” praticou as filmagens desde 2015, então são quase dois anos de gravações.  Fora a violação íntima das mulheres vereadoras, mulheres contratadas ou mulheres concursadas da Câmara, somente a Polícia e a Sindicância Interna poderão avaliar quantas outras mulheres, que usaram o banheiro, foram vítimas.

Pelo constrangimento, assédio moral, agressão psicológica e exposição da intimidade sem conhecimento a qual essas mulheres passaram, espera-se  que primeiro a Justiça de Parintins e depois a própria mesa diretora possa punir de forma exemplar o autor desse crime.  Afinal, essas mulheres filmadas tem parentes, filhos e irmãos que de forma indireta serão afetados e devem estar aflitos com as últimas notícias. Pois no mínimo querem saber: Tais imagens ficaram apenas com o autor ou repassadas a terceiros?

Prisão, pagamento de multa e demissão é previsto no Código Penal e Trabalhista. Afinal não é apenas o vereador que quebra o “decoro parlamentar” ao expor de forma negativa a Câmara. Vamos aguardar…

Por Hudson Lima

você pode gostar também