FVS diz que não é possível afirmar que o AM vive segunda onda de Covid-19

Foto: Secom/Divulgação.

Parintins (AM) – A Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) esclareceu nesta quarta-feira (16) que, apesar da substancial queda no número de casos, internações e óbitos no estado até o fim de agosto, o Amazonas ainda permanece com circulação viral de Covid-19 na capital e no interior, ou seja, o estado continua em pandemia.

Os indicadores monitorados pela FVS-AM apontam uma desaceleração na queda da média móvel de casos e um movimento de alta na média móvel de internações pela doença. Porém a FVS-AM diz que no momento não é possível afirmar que o Amazonas vive uma segunda onda de Covid-19.

“Essa desaceleração na queda de casos e aumento de internações é reflexo das aglomerações, cada vez mais frequentes, ocasionadas por uma parcela significativa da população que não adotou e, cada vez mais, está abandonando as medidas não farmacológicas preconizadas (como distanciamento social, não aglomeração, uso constante de máscara e lavagem frequente das mãos)”, informou a FVS-AM por meio de nota.

Por medida de precaução e para que seja possível avaliar a permanência de uma curva de crescimento de internações, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) está readequando o plano macro de reabertura do Hospital Delphina Aziz, que permanecerá sendo a unidade referência para o tratamento de Covid-19. A Secretaria informa, ainda, que trabalha para manter o cronograma de abertura do Parque de Imagens do Delphina.

Dados Boletim Diário Covid-19

De acordo com Boletim Diário Covid-19 da FVS-AM edição nº 168, divulgado nesta quarta-feira (16/09), nas últimas 24 horas foram confirmados 701 novos casos de Covid-19, sete óbitos e 619 casos recuperados. No total são 128.851 casos da doença no estado, 3.920 mortes e 109.311 casos recuperados.

Internações – Entre os casos confirmados de Covid-19 no Amazonas, há 274 pacientes internados, sendo 184 em leitos clínicos (60 na rede privada e 124 na rede pública) e 90 em UTI (49 na rede privada e 41 na rede pública).

você pode gostar também