Garantido: Conselho Fiscal reprova contas e presidente classifica como “ato político”

Eldiney Alcântara  | 24 Horas

[email protected]

A diretoria do Garantido “deixou de apresentar a Prestação de Contas Anuais, conforme rege Art. 35, inciso X do Estatuto”. Essa foi a afirmação do Conselho Fiscal do bumbá, ao convocar a imprensa na tarde desta sábado, 19, na Cidade Garantido. O presidente do boi, Fábio Cardoso, negou a acusação.

De acordo com Parecer Anual do Conselho Fiscal, a diretoria do Garantido apresentou somente “o Relatório de Atividades da Presidência Exercício 2019/2020. Porém deixou de apresentar a Prestação de Contas Anuais”. Durante a leitura do parecer o presidente do Conselho Fiscal, David Wilkerson, disse que em virtude disso as contas foram reprovadas. “Nós concluímos o Parecer pela reprovação das contas da diretoria para o período considerado”, enfatizou.

O parecer do Conselho entregue à imprensa do veio acompanhado de um balancete de movimentação financeira. Segundo o presidente do Garantido, Fábio Cardoso, a diretoria entregou todos os documentos necessários, tanto que o Conselho pôde apresentar os dados no seu Parecer. “Existe um equívoco. As prestações de contas foram todas apresentadas, tanto que é com base nas prestações de contas que o Perecer foi emitido. É faltar com a verdade quando você diz que as contas não foram apresentadas”, disse Fábio.

Fábio classificou a ação do Conselho Fiscal como “ato político”, numa tentativa de desestabilizar a candidatura do vice-presidente Messias Albuquerque. “Por questões políticas se buscou erros para que pudessem dar uma resposta negativa. Mas, vão poder corrigir esse equívoco de alguns membros do Conselho. Se observa que só os candidatos estavam lá. Isso me causa, no mínimo, estranheza”, finalizou.

você pode gostar também