Grupo hostiliza Juca Kfouri na rua de sua casa em razão de suas posições políticas

O jornalista Juca Kfouri foi surpreendido na madrugada desta terça-feira (29/3) por quatro homens que pararam na esquina da rua onde mora, num Honda Civic cinza, placas FES 5544, e começaram a xingá-lo. Com buzina nas mãos, eles gritavam: “Juca Kfouri, maldito, fdp, petista!”.

Juca relatou o episódio em seu blog no portal UOL e contou que uma situação parecida ocorreu na segunda-feira retrasada. O grupo, entretanto, era formado por oito pessoas. Ele não estava em casa, mas sua e mulher e o guarda-noturno presenciaram a cena. Desta vez, o colunista decidiu abordá-los.
“Logo fui dizendo que eles estavam enganados, que não sou e nunca fui petista e que sou contra o impeachment (…) O de máscara falou: ‘Eu gostaria que você repetisse que não é petista, porque sou seu fã’ (…) Repeti e voltei a dizer que era contra o impeachment, além de dizer que o que eles estavam fazendo era um absurdo e que não me intimidavam. Ele retrucou: ‘Mas não entendo como você pode ser contra o impeachment e não ser petista’. ‘Porque você é um ignorante político’, respondi. Ao que ele reagiu: “Não sou, não, eu leio Gramsci, a CartaCapital e o Vermelho.”
Segundo Juca, que estava acompanhado do filho e da mulher, um dos homens notou a aproximação de dois guardas da rua e disse ao que estava mascarado: “Então pede desculpa e vamos embora”. O grupo deixou o local sem se desculpar. “Valentes, muito valentes”, finalizou o jornalista em seu relato.
Na manhã desta terça, Juca identificou de onde era o carro. O veículo pertence à empresa Moas Indústria e Comércio Importação e Exportação Ltda, localizada no Parque Industrial. Os donos são Mordekhai Moas e Alegretta Tilda Safatis Moas.
Ele conversou com o filho dos proprietários, Moris Moa, que garantiu entregar, até às 15h desta terça (29), os quatro nomes dos responsáveis. De acordo com o jornalista, Moa negou participação no caso, apesar de uma foto dele, identificada pelo colunista na internet, ser muito parecida ao motorista do Honda Civic.
À IMPRENSA, Juca, que havia acabado de conversar com o suspeito de dirigir o automóvel, lamentou a intolerância das pessoas diante das opiniões políticas. “Ninguém quer ouvir ninguém. Ninguém está querendo mais ser convencido de coisa alguma. Está todo mundo com a sua verdade absolutamente fixada e faz esse tipo de covardia que está se tornando cada vez mais frequente”, disse.
Para o jornalista, o modo de barrar esse comportamento acirrado é não se intimidar. “Eles ficaram muito surpresos ontem quando eu desci e os abordei. Provavelmente, não acreditavam que isso pudesse acontecer. Na hora que eu cheguei eles imediatamente pararam e ouviram”, acrescentou.
Fonte: Portal Imprensa
você pode gostar também