-Publi-A-

Homem que estuprou e matou criança na zona rural de Parintins é encontrado morto no presídio

Foto: Gilson Almeida.

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

Edno Michiles, de 20 anos, do povo Sateré-Mawé, que confessou ter matado e estuprado Wemelly Santos da Silveira, de apenas 05 anos, na comunidade Betel, na região da Serra da Valéria, zona rural de Parintins, foi encontrado morto na manhã desta sexta-feira (18), na cela da Unidade Prisional do município.

De acordo com a direção do presídio, Edno Michiles foi conduzido para a Unidade Prisional dia 16 após a justiça decretar prisão preventiva do mesmo e foi colocado em uma cela isolado dos demais detentos para ficar por 14 dias, protocolo adotado por medida de segurança para evitar o contágio da Covid-19. Na noite de ontem (17), por volta das 19h30, ele recebeu uma escolta médica após se queixar de dores pelo corpo. Após isso, ele foi conduzido ao Hospital Padre Colombo onde foi medicado e depois conduzido novamente para o presídio. Edno foi encontrado morto na manhã de hoje na cela pela equipe do presídio ao notarem que seu café da manhã estava intacto. Ainda segundo a direção do presídio, não há sinais de violência na cela onde Edno estava e será aberto um inquérito para o caso ser investigado.

O corpo foi conduzido ao Instituto Médico Legal (IML) para a realização do exame de necropsia. Conforme o delegado Adilson Cunha, titular da 3ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), foi recolhido o café da manhã servido ao detento e também solicitado exame de sangue para ser verificado se a causa da morte foi por envenenamento.

O crime do estupro e assassinato da criança ocorreu dia 14. Edno foi capturado pelos próprios familiares e entregue para a Polícia Militar que se deslocou ao local. O réu confesso chegou a ser agredido por populares que tentaram linchá-lo.

A Polícia Militar conduziu Edno ao Hospital Padre Colombo para tratar os ferimentos e depois o conduziu para a 3ª DIP.

Em depoimento para a polícia, Edno confessou que atraiu a criança com um celular para estuprá-la e matá-la afogada no rio. O réu confesso disse ainda que usou as roupas da própria vítima para amarrar o corpo e deixá-lo submerso, o que dificultou de encontrá-lo. O corpo foi encontrado somente no dia seguinte  e conduzido pelo Corpo de Bombeiros ao IML onde foi constatado o estupro. Edno Michiles estava respondendo por estupro de vulnerável e homicídio duplamente qualificado.

você pode gostar também