Imigração japonesa: A história de mais de 80 anos de uma família no Amazonas

Foto: Reprodução.

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

Parintins (AM) – 20 de junho é a data que as famílias japonesas comemoram a imigração dos Koutakuseis no Amazonas, famílias que fizeram de Parintins, o seu lar

O patriarca da família Hatta, o Kimishige Hatta, chegou ao Brasil em 1933 na 3ª turma. Após passar sete anos morando em Belém se mudou para o Amazonas, especificamente para o município de Barreirinha, na Colônia de Santa Rosa, onde trabalhou com plantio de juta, mandioca e criação de gado.

Kimishige Hatta em Tóquio. Foto: Reprodução.

À convite do comendador Joaquim Gonçalves de Araújo, empresário português que estabeleceu, na época, indústria de processamento de borracha em Manaus, Hatta foi junto com outras famílias do grupo Koutaku para Vila Amazônia, zona rural de Parintins, em 1948, para trabalhar como contador na Companhia J.G. Araújo.

Os Koutakuseis na Vila Amazônia. Foto: Reprodução.

Kimishige Hatta mudou-se para Parintins em 1961 onde montou uma oficina de conserto de rádio e relógio.

Hatta faleceu dia 21 de janeiro de 1994, aos 82 anos, deixando 12 filhos vivos: Eduardo, Orlando, Olinda, Ronaldo, Roberto, Olívia, Geraldo, Ricardo, Ademar, Hiléia, Aldenor e Francisco.

Sua esposa, Maria Hatta, hoje tem 93 anos e recebeu as honras dadas aos Koutakuseis pelo governo estadual e A
associações japonesas.

Maria Hatta. Foto: Reprodução.

A neta de Kimishige, Iracema Hatta, usa as redes sociais constantemente para manter viva a memória de sua família. “No dia de hoje, recordamos o início de uma história de determinação, luta, sofrimento, dedicação e persistência. História essa passada de geração em geração onde a superação é marca registrada para se alcançar um objetivo. Pelo legado que nos deixaram, por todos os ensinamentos passados, uma palavra apenas define o sentimento: Gratidão”, publicou Iracema.

Iracema Hatta. Foto: Reprodução.
você pode gostar também