Inquérito sobre acidente com morte de estudante tem 30 dias para ser concluído pela Polícia Civil 

Foto: Divulgação

Da Redação

O motorista Gilberto Silveira Eleutério, 69 anos, não fugiu do local do acidente grave ocorrido na Rua Maués com a Alberto Mendes, na tarde de sexta-feira (07). O condutor foi apresentado na 3ª Delegacia de Polícia Civil, junto com os veículos envolvidos na colisão. O esclarecimento é feito pelo delegado de Polícia Civil de Parintins, Adilson Cunha, neste sábado (08).


Gilberto Eleutério dirigia um carro Fiat Touro pela Rua Alberto Mendes, em sentido ao bairro Palmares, quando atravessou a Rua Maués e atingiu violentamente a moto conduzida pelo estudante Erickson Tenório, 25 anos. A vítima teve traumatismo de tórax, politraumatismo e hemorragia, o que resultou em morte cerca de 24 horas depois do acidente.

Antes do registro do óbito, Gilberto Eleutério seria indiciado por lesão corporal culposa no trânsito. Com a morte de Erickson Tenório, o motorista fica enquadrado pelo crime de homicídio culposo no trânsito, quando não há intenção de matar, e vai responder na Justiça. O investigador de Polícia Civil, José Maria Castro, afirma que houve a identificação do motorista ainda no local do acidente.

De acordo com a Polícia Civil, Gilberto Eleutério possuía os documentos do veículo e Carteira Nacional de Habilitação (CNH) todos regularizados, sem alteração no estado físico que indicasse efeito de bebida alcoólica. Dentro dessas circunstâncias, o procedimento se deu pela liberação do motorista, porque não tinha laudo da gravidade do acidente.

O delegado Adilson Cunha abriu inquérito para apurar as causas do acidente em um prazo de 30 dias e encaminhar o caso para apreciação da Justiça de Parintins. A imprudência do acidente causou grande indignação nas redes sociais, com manifestações de revolta em quem viu o vídeo de câmeras de segurança que registrou o exato momento do impacto do carro com a moto.

você pode gostar também