Instituto Ajuri solicita do governo políticas emergenciais para trabalhadores da cultura

Eldiney Alcântara | 24 Horas

[email protected]

Com o objetivo de buscar efetivação de uma agenda política voltada ao apoio emergencial aos trabalhadores da cultura, o presidente da Instituto Cultural Ajuri (INCA), Marcos Moura, reuniu com o titular da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Amazonas, Marcos Apolo Muniz, em Manaus, no final de semana. A medida se justifica devido ao fato de muitos artistas se encontrarem em situação de vulnerabilidade social por conta da pandemia da Covid-19.

De acordo com Marcos Mouraz, em Parintins, não somente os artistas dos Bois Garantido e Caprichoso foram impactados pela pandemia, mas toda a cadeia produtiva da cultura, que sustenta a principal fonte econômica do município. “São muitos trabalhadores e trabalhadores da arte e da cultura que estão sofrendo os impactos da pandemia e precisam de apoio”, disse.

O presidente do INCA apresentou demandas ao poder público através do Movimento S.O.S. Trabalhadores da Cultura do Amazonas. Ele destacou que “é preciso avançar nas políticas de Estado que são estruturantes e ligadas à um projeto de desenvolvimento, como a implementação do Sistema Estadual de Cultura (SEC) em cumprimento à Lei do Plano Nacional de Cultura (PNC)”.

Marcos Moura também conversou com Cadige Jamel, Secretária Executiva da Secretaria de Estado de Assistência Social, e tratou sobre os projetos emergenciais para o interior do Amazonas, principalmente, ações voltadas para Parintins. Segundo ele, ao lado da deputada Alessandra Campêlo, Cadige empreede projetos sociais de grande relevância no estado. “Não tenho dúvidas de que essas mulheres agregam muito valor ao governo do Amazonas”, concluiu.

você pode gostar também