-Publi-A-

Jogadores de ‘Pokémon GO’ dizem ter sido assaltados durante a brincadeira em Manaus

Assaltantes aproveitam que usuários ficam mais expostos enquanto jogam. Foto: Eraldo Lopes

Para reduzir  chances de virar alvo de bandidos, delegada do 16º DIP orienta usuários do jogo a evitarem permanecer em via pública com celulares à mostra.

Carla Albuquerque | DEZ Minutos

Manaus -“Eu nunca andava por aí com meu celular nas mãos. Sempre guardado. Mas, depois que comecei a jogar, me distraí e virei presa fácil”. A declaração é da universitária Deborah Teixeira, 26, que teve o aparelho celular roubado enquanto jogava ‘Pokémon GO’ (jogo de realidade aumentada para smartphones).

Assim como ela, um estudante, de 15 anos, também foi roubado, no conjunto Morada do Sol, no Aleixo, zona sul da cidade, enquanto caçava Pokémons. Esses casos já se somam ao do trio preso, na madrugada do último sábado, quando mataram uma mulher e feriram outras duas pessoas, após terem tido o celular roubado, também enquanto estavam jogando, na zona leste.

A universitária contou que estava voltando da faculdade para casa, no Beco do Macedo, na zona sul, e, no caminho, parou para capturar um Pokémon. “Eu estava com o celular na mão, quando um homem em uma moto veio na minha direção e roubou meu celular”, lembrou.

Mãe do adolescente de 15 anos que foi alvo de assaltantes, a professora Rita de Cássia Dutra, 53, contou que o jovem saiu de casa para caçar, ficou distraído com a brincadeira, se afastou de casa e, quando entrou em uma rua do Morada do Sol, foi roubado. A ação foi gravada por câmeras de segurança de uma produtora.

O caso é investigado pelo 16º Distrito Integrado de Polícia (DIP). De acordo com a delegada Alynne Lima, a polícia tenta localizar o suspeito.

Para reduzir as chances de virar alvo de bandidos, a delegada orientou que os usuários do jogo evitem permanecer em via pública com celulares à mostra, especialmente, à noite.

Assassinato

Na madrugada do último dia 6, George Stanley Amaral Mariano, 22, e Atos Leonardo Lira Soares, 18, foram presos, logo após terem baleado três pessoas em um bar, no Mauzinho, enquanto tentavam recuperar o celular que havia sido roubado, enquanto caçavam Pokémons. A vendedora de cosméticos Maria Raimunda Ferreira Pereira, 46, que foi atingida com dois tiros no abdômen, morreu logo depois. A soldado da Polícia Militar Maria do Socorro Acelino Lopes, 34, também foi presa porque a arma usada no crime era dela. O trio foi solto pela Justiça por possuir bons antecedentes. A Polícia Civil informou que pedirá a prisão preventiva dos envolvidos.

você pode gostar também