Jornalista e líder do PT no RN defende ataques à “imprensa golpista” no Twitter

Um dos líderes do Partido dos Trabalhadores (PT) no Rio Grande do Norte e presidente da Fundação José Augusto, o jornalista Joaquim Crispiniano, questionou a cobertura da imprensa após o cumprimento do mandado de condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

Em uma publicação no Twitter, o político defendeu ataques ao que ele qualifica como “imprensa golpista”. “Não se pode esperar um tiro no peito ou uma foto do líder ‘suicidado’ na cadeia para começar a virar e queimar carros da imprensa golpista”, escreveu.
Segundo o G1, o PT afirmou que a opinião de Crispiniano não representa o partido. O líder da legenda no RN é auxiliar do governador Robinson Faria.
print
Em nota, o Sindicato dos Jornalista Profissionais do Rio Grande do Norte (Sinjorn) e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) repudiaram a declaração do político. As entidades também exigiram uma resposta “rápida, enérgica e exemplar” de Faria.
“Senhor Crispiniano, não podemos e não vamos aceitar uma tentativa tão venal e absurda de calar profissionais do jornalismo. Muito menos vamos nos calar e deixar de cumprir corretamente nosso dever por conta de uma incitação covarde como a sua”, destacaram.
“Vivemos em um momento delicado no nosso país, é verdade, mas isso não pode jamais servir de justificativa para que percamos o senso de coletividade e de respeito às pessoas, às instituições e ao estado livre de direito”, concluíram.
Fonte: Portal Imprensa
você pode gostar também