Jornalista Ricardo Boechat morre em queda de helicóptero

O jornalista Ricardo Boechat morreu nesta segunda-feira (11), em São Paulo. O apresentador do Jornal da Band e da BandNews FM e colunista da revista IstoÉ, viajava em um helicóptero que caiu, quando passava pela Rodovia Anhanguera, atingindo um caminhão. O acidente aconteceu por volta do meio-dia. 

De acordo com informações da CCR Rodoanel Oeste, que administra a via, além do jornalista também morreu o piloto, cujo nome ainda não foi divulgado. O motorista do caminhão ficou ferido.

Aos 66 anos, Boechat deixa esposa e seis filhos. Principal âncora do Grupo Bandeirantes, era um dos jornalistas mais respeitados do país. Durante sua carreira venceu três prêmios Esso.

O jornalista retornava de Campinas, interior de São Paulo, onde fez uma palestra para uma empresa farmacêutica. O acidente ocorreu próximo ao quilômetro 7 do Rodoanel, no sentido Castelo Branco. Ele embarcou no voo por volta das 11h50 e deveria ter desembarcado na Bandeirantes por volta das 12h15.

Segundo informações iniciais do Corpo de Bombeiros, o helicóptero teve uma pane. O piloto tentou fazer um pouso de emergência, mas atingiu o caminhão e explodiu.

Em postagem no Twitter, a rádio BandNews FM confirmou a morte. “É com profunda tristeza e consternação que nós, da Rádio BandNews FM, comunicamos a morte do nosso amigo e âncora de todas as manhãs, Ricardo Boechat”, dizia a postagem.

Na rádio, a confirmação foi dada pela editora-chefe Sheila Magalhães. “É com profunda tristeza que nós informamos que nosso âncora de todas as manhãs, Ricardo Boechat, estava a bordo deste helicóptero que caiu”, disse.

Os jornalistas Eduardo Barão e Carla Bigatto, com quem o apresentador dividia a bancada, falaram emocionados sobre a convivência e a carreira do apresentador. Posteriormente, a rádio pediu desculpas a seus ouvintes e suspendeu sua programação, passando a repetir de tempos em tempos a homenagem feita pelos companheiros de trabalho. As transmissões normais foram retomadas por volta das 15h03.

Em um depoimento emocionado, o jornalista Datena noticiou a morte do companheiro de trabalho em um boletim do programa Brasil Urgente.

Filho de diplomata, o jornalista nasceu em Buenos Aires e começou a carreira jornalística nos anos 1970 no jornal Diário de Notícias. Com passagens pelos jornais O Globo, O Estado de S. Paulo, Jornal do Brasil e o Dia, também foi secretário de Comunicação no governo Moreira Franco.

Leia mais detalhes em instantes.

Com informações do Portal Imprensa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here