Jornalista se passa por empresário e revela mais um caso de corrupção na Nigéria

Um trabalho de jornalismo investigativo sobre corrupção no futebol derrubou nesta semana mais um africano. O auxiliar técnico da seleção da Nigéria, Salisu Yusuf, recebeu propina de um jornalista disfarçado de agente para convocar dois jogadores.

Com a divulgação do vídeo, o profissional foi suspenso por um ano de qualquer atividade relacionada à modalidade esportiva. Yusuf aceitou US$ 1 mil (cerca de R$ 4 mil) para incluir na lista de convocados da seleção nigeriana o defensor Osas Okoro e o meia Rabiu Ali para a disputa de um torneio que aconteceu no Marrocos.

Os dois jogadores foram chamados e o vídeo foi divulgado há dois meses. Com a repercussão negativa, Yusuf, que era cotado para comandar o time até nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, no Catar, foi suspenso.

O trabalho jornalístico faz parte de uma série matérias preparadas pelo jornalista ganês Anas Aremeyaw. Ao lado de sua equipe, ele já denunciou outros dirigentes do futebol africano e causou, inclusive, a dissolução da Associação de Futebol de Gana. O presidente da entidade, Kwesi Nyantakyi foi obrigado também a deixar os cargos que ocupava na Fifa e na Confederação de Africana de Futebol, devido às denúncias de Anas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here