Jornalistas do “Correio Braziliense” anunciam paralisações por demandas trabalhistas

Os repórteres do Correio Braziliense anunciaram que farão diversas paralisações para cobrar dos Diários Associados, empresa responsável pelo jornal, a quitação de obrigações trabalhistas. A ação foi decidia em assembleia realizada na última terça-feira (7/6).

Os funcionários do veículo determinaram um calendário de quatro paralisações. Assim, eles devem cruzar os braços por duas horas na quinta (9/6) e sexta (10/6), por três horas na segunda (13/6) e por tempo indeterminado a partir de terça (14/6). Entretanto, a continuidade da medida será avaliada diante da postura da direção da empresa frente às demandas dos trabalhadores.
De acordo com o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF), o Correio Braziliense não pagou até o momento a diferença salarial retroativa e a Participação nos Lucros e Resultados da Convenção Coletiva de Trabalho dos Jornalistas 2015/2016, o auxílio-alimentação do mês de maio e as notas dos jornalistas freelancers — alguns há quatro meses sem receber. O jornal também não teria regularizado o FGTS dos funcionários.
Wanderlei Pozzembom, coordenador-geral do SJPDF, alerta que os trabalhadores já deram muitos votos de confiança para a empresa, tanto que em março houve assembleia e por três vezes os jornalistas optaram por aguardar a resolução do problema, considerando importante compreender as dificuldades financeiras. “Mas a sensibilidade de um lado não foi correspondida pela de outro e agora chegou a hora de ampliar a pressão”, diz.
Do Portal Imprensa
você pode gostar também