Jovem morto a facadas em Parintins

Jovem é morto a facadas em Parintins A vítima foi atingida com uma perfuração profunda do lado esquerdo do tórax e outra na região frontal postado em 2016-10-29 14:38:00 Jovem é morto a facadas em Parintins Corpo de Jeferson Marinho no IML - Foto: Bombeiros/Divulgação

O jovem Jeferson Marinho da Silva, 24 anos, foi morto a facadas na rua Raimundo Bentes de Jesus, Bairro Santa Rita de Cassia. Ele é mais uma vítima da violência que impera no município de Parintins (distante 369 km de Manaus-AM).

O assassinato aconteceu por volta de 21h50 de ontem, sexta-feira, 28 de outubro. Uma equipe do Corpo de Bombeiros formada pelo Sargento Cardoso, Cabo Geberson e Soldado Paiva, foi acionada às 22h20 e fez a remoção do corpo da vítima para o Hospital Jofre Cohen (HJC).

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, a vítima foi atingida com uma perfuração profunda do lado esquerdo do tórax e outra na região frontal. Quando a equipe chegou ao local a vítima não apresentava sinais vitais e foi deslocada para HJC e entregue a médica plantonista que atestou o óbito. Em seguida o corpo foi deixado no Instituto Médico Legal (IML).

A insegurança e o número de assassinatos assusta os parintinenses. Uma cidadã que atua na área da saúde e estava no IML na manhã de hoje, e não quis gravar entrevista com medo de represálias, expressou sua indignação pela falta de segurança na cidade. Segundo ela, a falta de responsabilidade do Governo do Estado na aplicabilidade do dinheiro público e falta de fiscalização dos deputados e do Ministério Público enquanto a aplicação dos recursos, geram transtornos a população.

“A segurança em Parintins assim como em todo Estado do Amazonas está entregue às ‘baratas’. Estamos nas mãos de um Governo irresponsável não só com a aplicabilidade do dinheiro da segurança, mas também com o dinheiro da saúde. Assim como não tem dinheiro pra comprar combustível pras viaturas da cidade, não tem remédios e falta até material para se fazer curativos e suturas em pacientes que procuram as unidades de saúde. Queria saber cadê esse dinheiro e cadê a promotoria, a justiça e os deputados que deveriam fiscalizar e pelo que parece não fiscalizam isso que ao final chegam como transtorno a população?!”, enfatiza a cidadã.

Ainda segundo a cidadã, “parece que por ironia do destino, a data da morte desse jovem, (dia 28), coincidiu com o número de assassinatos, em Parintins, cometidos este ano. Ele é a 28ª vítima da falta de segurança pública e da brutalidade que imperam em nossa cidade. E o pior, muitos desses assassinatos a polícia até hoje não descobriu os autores”, finaliza.

Do Gazeta

você pode gostar também