-Publi-A-

Jovens pesquisadoras parintinenses tem trabalhos reconhecidos nacionalmente e repercussão internacional.

Figura 01: À esquerda, a jovem pesquisadora Ádrian Cardoso; à direita, a jovem pesquisadora Eva Araújo, ambas desenvolvem suas pesquisas no NEPA/UEA/CNPq.

É bem verdade que já estamos em Abril, entretanto, há um facto importante de março que é digno de registro.  Dia 08 de março todos nós celebramos o dia internacional da Mulher. Particularmente, a Universidade do Estado do Amazonas promoveu uma série de debates, palestras e outras actividades que se estenderam ao longo daquela semana. Para nós do NEPA – Núcleo de Ensino e Pesquisa em Astronomia – a notícia somente chegou dia 29 de março.

É verdade que temos vários exemplos de mulheres geniais, verdadeiros modelos a serem seguidos. Entretanto, caro leitor, quando o assunto é Astronomia, o número de mulheres que se destacam é bem reduzido. Nesse contexto, destacar-se parece uma tarefa, cada vez mais, humanamente difícil de ser alcançada. E se eu falar que o Amazonas é um Estado riquíssimo em Folclore, com lindos festivais promovidos pelos bois, que Parintins naturalmente tem vocação para cidade turística? Nesses termos, quem tem maior probabilidade de se destacar? Talvez um item do seu boi favorito, talvez o charme, elegância e gingado da mulher brasileira (uma dançarina do boi, por exemplo), talvez um de nossos profissionais do turismo? Enfim, algo parece ser unanimidade entre nós, quando o assunto é Parintins possivelmente quem é de fora lembrará (da cidade) devido ao festival, ou devido aos traços da cunhã-poranga, ou devido às paisagens lindíssimas da região, ou devido ao jeito caloroso e aconchegante do povo parintinense.

Pois bem, dessa vez, Parintins foi novamente lembrada, porém, não foi por algum dos factores citados acima e sim pelo facto de ter sido de Parintins as duas jovens pesquisadoras que iniciaram vossas pesquisas com trabalhos de relevância nacional. O nome delas (em ordem alfabética): Ádrian Kelly Cardoso Melo e Eva Taiena Fernandes Araújo. Duas jovens que, com ousadia e inovação, começam a reescrever uma nova página na Astronomia brasileira.

Hoje o NEPA/UEA/CNPq é composto por três pessoas, a saber: as duas jovens pesquisadoras – Ádrian Cardoso e Eva Araújo, e o Prof. Dr. Nélio Sasaki.

Equipa pequena, não? Mas está a fazer um grande barulho. Isso porque o NEPA/UEA/CNPq alcançou projecção internacional, obviamente, os projectos desenvolvidos pelas jovens pesquisadoras ganharam visibilidade. Desta forma, o Amazonas teve as primeiras jovens pesquisadoras em Astronomia. E são mulheres de Parintins, são parintinenses.  Esta conquista não é unicamente do NEPA/UEA/CNPq, antes disso, representa muitas jovens parintinenses (representa muitas outras vozes). A mulher que conquista o seu espaço na Astronomia, e embora esteja em uma ilha, no interior do Amazonas, essa mulher faz sua voz ecoar nos quatros cantos do país e mostra, pela primeira vez na história do Brasil, que as mulheres parintinenses também fazem ciência (na área de Astronomia) e são activas, propondo idéias e soluções em prol da mesma Astronomia.

Ousadia e inovação são marcas registradas dessas jovens -pesquisadoras, somente neste início de 2016 (são três trabalhos aceitos, até o momento), o que resultarão em, no mínimo, três publicações para as jovens pesquisadoras. E quem disse que para começar a fazer pesquisa não tem que ousar?  Mesmo sem muita experiência em pesquisa e sendo as duas pesquisadoras muito jovens, os trabalhos vieram com propostas significativas para a Astronomia brasileira.

A pesquisa liderada pela jovem pesquisadora Ádrian Cardoso tem por objectivo reconstruir a Astronomia à Luz da História. Após o aceite da SBPC, endoçado pela SAB, o NEPA/UEA/CNPq recebeu a atenção de centros europeus interessados nos artigos, cartilhas e livros que estão a ser confeccionados pela jovem pesquisadora Ádrian Cardoso, sob a orientação do Dr. Nélio Sasaki (Membro da União Astronómica Internacional e membro da PLOAD).

Figura 02: Trabalho traz uma discussão a respeito da importância da História na Astronomia. Créditos: Imagem cedida pela SBPC – cortesia NEPA/UEA/CNPq.
Figura 02: Trabalho traz uma discussão a respeito da importância da História na Astronomia. Créditos: Imagem cedida pela SBPC – cortesia NEPA/UEA/CNPq.

A pesquisa liderada pela jovem pesquisadora Eva Araújo traz consigo uma nova abordagem de um grande desafio, a saber: Astrobiologia.  O NEPA/UEA/CNPq  já havia desenvolvido trabalhos em Astrobiologia ao longo dos três POP C, T & I consecutivos (2013, 2014 e 2015) – todos financiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM). Em 2016, o projecto do NEPA/UEA/CNPq ganhou destaque internacional, e uma das temáticas é justamente a Astrobiologia. O trabalho repercutiu nos Estados Unidos da América e em França.  E uma das consequências dessa repercussão poderá ser notada agora, em Setembro (portanto, revelarei posteriormente, ok?). Claro, o trabalho desenvolvido pela jovem pesquisadora Eva Araújo está sob a orientação do Dr. Nélio Sasaki.

 

Figura 03: Trabalho discute a relevância da Astrobiologia. Créditos: Imagem cedida pela SBPC – cortesia NEPA/UEA/CNPq.
Figura 03: Trabalho discute a relevância da Astrobiologia. Créditos: Imagem cedida pela SBPC – cortesia NEPA/UEA/CNPq.

 

Figura 04: Trabalho faz uma reflexão sobre o Ensino de Astronomia no Amazonas. Créditos: Imagem cedida pela SBPC – cortesia NEPA/UEA/CNPq.
Figura 04: Trabalho faz uma reflexão sobre o Ensino de Astronomia no Amazonas. Créditos: Imagem cedida pela SBPC – cortesia NEPA/UEA/CNPq.

Como falamos acima, os componentes do NEPA/UEA/CNPq são três pesquisadores: um da área de exactas, um da área de humanas e um da área de biológicas. Essa formação faz com que o NEPA/UEA/CNPq permaneça fiel à sua origem, ou seja, imperam interdisciplinaridade e multidisciplinaridade constantemente. Foi com esse espírito que os autores propuseram análises profundas no Ensino de Astronomia no Amazonas.

Tradição: A UEA completou 15 anos de vida e destes anos, em quase meia década o NEPA/UEA/CNPq tem marcado presença no maior congresso científico brasileiro.  Ao todo são 14 trabalhos aceitos em quatro anos consecutivos (2013, 2014, 2015 e agora 2016), uma média em torno de          4 trabalhos/ano.  As publicações são confirmadas em outubro pela revista Anais da Reunião Anual da SBPC, por isso, até o momento, o NEPA/UEA/CNPq  tem 11 publicações (somente nesse congresso), em outubro deste ano poderemos ter mais três publicações. Qual a importância disso? O NEPA/UEA/CNPq é o único grupo de pesquisa da Região Norte do Brasil a estar presente em todos os eventos científicos e representar a Astronomia de Parintins, do Amazonas e da região norte para o país inteiro e, agora, no exterior também.

Embora o objectivo desta matéria seja o de mostrar a importância, o talento e o valor da mulher na construcção da ciência, em particular, na Astronomia. Não posso deixar de citar que a UNESCO (United Nations Educational, Scientifc and Cultural Organization) parabenizou às jovens pesquisadoras através do reconhecimento do trabalho do NEPA/UEA/CNPq apresentado em Europa.

A menção honrosa foi devido ao NEPA/UEA/CNPq proporcionar espaço e voz às mulheres da Amazónia Internacional. Uma feliz coincidência o facto de tudo culminar em março, justamente no mês em que comemoramos o Dia Internacional das Mulheres.

Dr. Nélio Sasaki – Doutor em Astrofísica, Líder do NEPA, Membro da SAB, Membro da ABP, Membro da SBPC, Membro da SBF, membro da AIU, membro da PLOAD, Revisor da Revista Areté, Revisor da Revista Eletrônica IODA, Revisor ad hoc do PCE/FAPEAM, Coordenador do Planetário Digital de Parintins, Coordenador do Planetário Digital de Manaus, Professor Adjunto da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

você pode gostar também