-Publi-A-

Justiça decreta prisão preventiva de homem que confessou ter estuprado e matado criança na zona rural de Parintins

Foto: Gilson Almeida.

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

Após representação do delegado Adilson Cunha, titular da 3ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), a justiça converteu na manhã desta quarta-feira (16) a prisão em flagrante para prisão preventiva de Edno Michiles, de 20 anos, que confessou ter estuprado e matado afogada no rio Wemelly Santos da Silveira, de apenas 05 anos, e em seguida ter ocultado o corpo. O crime ocorreu na tarde de segunda-feira (14) na comunidade Betel, na região da Valéria, zona rural de Parintins. Edno responde por estupro de vulnerável e homicídio duplamente qualificado. “O acusado será transferido para a Unidade Prisional onde permanecerá preso até final das investigações, aguardando julgamento”, disse o delegado.

Foto: Reprodução/Redes sociais.

De acordo com Adilson Cunha, Edno foi capturado pela família e entregue para a Polícia Militar que se deslocou ao local. “O acusado foi entregue pela própria mãe. Ele estava foragido, a família da vítima estava atrás dele quando descobriu o ocorrido. Essa família descobriu através de outra criança que tinha visto a vítima caminhando com esse cidadão. A partir daí a família foi na residência do mesmo. Chegando na residência ele já se não se encontrava, ou seja, estava foragido, se escondendo em algum local”, disse o delegado.

O réu confesso chegou a ser agredido por populares que ficaram revoltados com o crime. Comunitários e a Polícia Militar fizeram buscas pelo corpo da vítima, mas ele foi encontrado somente na manhã de terça-feira (15) e conduzido pelo Corpo de Bombeiros ao Instituto Médico Legal (IML) do município onde foi constato o estupro.

Foto: Márcio Costa.

Na noite de segunda-feira (14), a Polícia Militar conduziu Edno ao Hospital Padre Colombo para tratar dos ferimentos e depois o conduziram para a 3ª DIP. Em coletiva de imprensa realizada na tarde de ontem, o delegado Adilson Cunha informou que Edson confessou ter usado o celular para atrair a criança para depois estuprá-la e matá-la. “Ele muito friamente confessou que atraiu a menina, ele estava na beira do rio. Ele havia ingerido bebida alcoólica desde as 11h da manhã e quando foi por volta das 17h, ele passando pela beirada, atraiu a menina com um celular. Quando a criança se aproximou ele a agarrou e cometeu os abusos sexuais e logo após ele afogou a criança na beira do rio. E com as vestes da própria criança ele a amarrou, deixando-a submersa, o que dificultou de encontrá-la”, falou Cunha.

Foto: Liam Cavalcante.

O sepultamento de Wemelly Santos ocorreu na manhã de hoje, no cemitério da comunidade Santa Rita, e foi marcado por tristezas, revoltas, protestos e pedidos por justiça. No cortejo fúnebre crianças carregavam cartazes que demonstravam a indignação coletiva.

Foto: Divulgação.

Edno Michiles é do povo Saté-Mawé e estava morando na comunidade aproximadamente há 06 anos quando veio da área indígena do município de Barreirinha.

você pode gostar também