Justiça do Trabalho bloqueia 2,9 mi dos bumbás e festival novamente ameaçado

Patrocinadores do festival foram notificados pelo Juiz do Trabalho Aldemiro Dantas, a reterem a quantia de 2,9 milhões dos bumbás.

Édria Caroline | Folha de Parintins

Parece que o caos instalado no Festival Folclórico de Parintins deste ano está longe de ter fim. Mesmo com todos os esforços feitos pelos bois Caprichoso e Garantido através de todos os seguimentos, as diretorias não param de ser surpreendidas. Desta vez, uma decisão judicial bloqueou parte da verba destinada aos bumbás para a realização da festa deste ano.

Segundo informações dos dirigentes dos bumbás, patrocinadores do festival foram notificados pelo Juiz do Trabalho Aldemiro Dantas, a reterem a quantia de R$ 1.200.000.00 (um milhão e duzentos mil) da Associação Folclórica Boi Bumbá Garantido e R$ 1.700.000.00 (um milhão e setecentos mil) da Associação Cultural Boi Bumbá Caprichoso. As quantias são referentes à dívidas trabalhistas e previdenciárias das duas Associações que já venceram e das que vão vencer até o final deste ano.

Através da assessoria de imprensa, o vice-presidente do Boi Garantido, Fábio Cardoso, informou que já está sendo preparado um Mandado de Segurança para tornar sem efeito a decisão do juiz  Aldemiro Dantas. “Tenho conversado pessoalmente com os advogados que tem acordos em atraso, e devemos refazer os acordos com novas datas. Estamos buscando todas soluções possíveis, vamos resolver sim. O Dr. Raul Góes já está trabalhando no Mandado de Segurança”, disse. O vice-presidente ainda informou que desde o início desta gestão, a Associação já quitou mais de R$ 1.300.000.00 de dívidas que estavam pendentes na Justiça do Trabalho.

Já o Boi Caprichoso, também por meio da sua assessoria de imprensa, disse que a Associação não vai se pronunciar sobre o assunto.

você pode gostar também