Justiça do Trabalho manda Boi Caprichoso leiloar curral e escola de arte para pagamento de dívidas

Foto: Pitter Freitas.

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

Parintins (AM) – Para pagar dívidas trabalhistas, a Justiça do Trabalho mandou o Boi Caprichoso leiloar o curral Zeca Xibelão e a Escola de Artes Irmão Miguel de Pascale. A ordem é do juiz titular da 1ª Vara dJustiçao Trabalho de Parintins, Izan Alves Moreira Filho.

Segundo o site BNC Amazonas, a dívida de R$ 2,4 milhões para ser paga em três anos foi assumida em 2018 pelo ex-presidente do boi, Babá Tupinambá. O curral e a escola de arte foram usados como garantia do acordo. No entanto a dívida não foi honrada e subiu para R$ 5,2 milhões.

Babá Tupinambá afirma que pagou a primeira parcela no valor de quase R$ 1 milhão, já no ano de 2019, quando encerrou o seu mandato, não conseguiu honrar a dívida pela perda de patrocinadores. “Em 2019 eu não tive condições de honrar que era praticamente o mesmo valor, de 700 a 800 mil. E aí nós perdemos vários patrocinadores e não deu para honrar, tinha que colocar o boi na arena. Foi que a segunda parcela não foi paga e a dívida dobrou”, explicou Tupinambá.

A diretoria do Caprichoso ainda pode recorrer sobre a decisão.

Em contato com a reportagem do Portal Parintins 24 Horas, o atual presidente do Caprichoso, Jender Lobato, informou que já acionou os advogados em busca de solução para o problema e com a não realização do festival por conta da pandemia impossibilitou a agremiação de arrecadar recursos.

Conforme o levantamento feito pelo site BNC Amazonas, a agremiação responde cerca de 230 ações do gênero e a atual diretoria do Caprichoso já pagou mais de R$ 1,5 milhão em acordos trabalhistas. Além disso a agremiação continua negociando principalmente com os artistas, que são a maioria dos autores das ações.

você pode gostar também