Karine Brito denuncia Everaldo Batista no MP-Am por desvio de R$ 220 mil da Câmara Municipal de Parintins

O vereador Everaldo Batista (Pros), presidente afastado por força judicial da Câmara Municipal de Parintins por peculato, falsidade ideológica e estelionato, foi denunciado no Ministério Público do Estado (MP-AM), por possível desvio de R$ 220 mil dos cofres da CMP nos últimos meses. A formalização da acusação foi feita na terça-feira, 9 de maio, pela presidente interina Karine Brito (PHS), junto a 3ª Promotoria Pública, Comarca de Parintins, tendo como titular a promotora Caroline Monteiro.

As irregularidades no setor financeiro da Câmara Municipal começou a ser exposta pela equipe de auditoria contratada pela Mesa Diretora, ao comando a presidente interina Karine Brito, para realizar o levantamento de toda movimentação administrativa, financeira e contábil na gestão de Everaldo Batista como presidente do Pode Legislativo Municipal.

Everaldo Batista, enquanto ordenador de despesas, teria cometido, entre outras irregularidades, crime de improbidade administrativa quando não recolheu em sua administração o repasse do desconto dos servidores ao INSS e FGTS. Batista teria até mesmo deixado de pagar o 13º dos funcionários da Câmara Municipal.

De acordo com a promotora pública Carolina Monteiro, as acusações serão investigadas e após a conclusão dos fatos o resultado do processo será divulgado. Além de Everaldo Batista também são acusados servidores do setor de finanças da Câmara Municipal de Parintins.

Everaldo Batista e o vereador Rai Cardoso (PMDB) foram afastados dos cargos por terem praticado a venda de gasolina do Poder Legislativo

Marcondes Maciel | RP

você pode gostar também