-Publi-A-

Kepler-35b

Figura 01: Kepler-35b e seus dois “sóis” – conceção artística

Certamente os amantes de “Star Wars” irão se lembrar da cena em que o jude Luke Skywalker está a caminhar em seu planeta natal – Tatooine, um planeta cujo charme é a existência de dois “sóis”.

Figura 02: Jude Luke Skywalker a caminhar sobre a superfície de Tatooine.

A pergunta de hoje é: existiria algum planeta semelhante ao Tatooine? A resposta só foi possível após a chegada da nova geração de telescópios potentes. Foi o que aconteceu com a missão Kepler (da NASA), que vasculhou o espaço em busca de sistemas binários.

Em Astronomia, é sabido que estrelas binárias podem conter vários planetas em torno de si.  A questão a ser levantada diz respeito às características de tais planetas. Haja vista que, até o momento, somente encontramos planetas gigantes e gasosos a orbitarem as binárias. Nestes termos, Tatooine parece estar na contramão da história, pois, em Star Wars, ele é descrito como um planeta rochoso e desértico. Então, será que poderíamos encontrar um planeta rochoso a orbitar dois sóis e, ainda assim, ser capaz de abrigar vida?

Essa questão foi levantada por uma equipa de astrónomos que realizou vários estudos sobre binárias, com a ajuda do Telescópio Espacial Kepler. Caso exista um planeta que atenda às exigências acima, certamente esse planeta seria muito hospitaleiro, desde que ele estivesse na zona de habitabilidade estelar. Sublinha-se que neste caso, o planeta não obrigatoriamente deveria ter regiões desérticas. Mais ainda, os astrónomos descobriram a existência de um planeta rico em água líquida na zona de habitabilidade planetária de um sistema binário. A propósito, a água é contida no planeta por longo tempo, apesar dos dois sóis.

Isso é algo realmente fantástico, pois, embora o planeta receba uma quantidade significativa de luz das binárias, esse tipo de estrelas são candidatas perfeitas para abrigarem planetas habitáveis. O planeta que apresenta “dois sóis” foi denominado de Kepler-35b e seus “dois sóis” são as estrelas Kepler-35A  e  Kepler-35B.

Aliás, Kepler-35b é quase oito vezes o tamanho da nossa Terra e sua órbita demora 131,5 dias terrestres. Facto interessante é que a órbita oscilaria em torno do campo gravítico entre o  planeta e as binárias.

Para surpresa de muitos, esse planeta teria temperatura estável, com variações de temperatura da ordem de 2ºC, em um período de um ano. A abundância de água confere a Kepler-35b muitas vantagens e pontos positivos a favor do surgimento e manutenção da vida. Sem falar que o céu ficaria limpo e poderíamos acompanhar detalhadamente o pôr-do-sol duplo naquele planeta.

Dr. Nélio Sasaki – Doutor em Astrofísica, Líder do NEPA/UEA/CNPq, Membro da SAB, Membro da ABP, Membro da SBPC, Membro da SBF, membro da UAI, membro da PLOAD/Brasil e ST/Brasil, Revisor da Revista Areté, Revisor da Revista Eletrônica IODA, Revisor ad hoc do PCE/FAPEAM, Director do Planetário Digital de Parintins-NEPA/UEA/CNPq, Director do Planetário Digital de Manaus-NEPA/UEA/CNPq, Professor Adjunto da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).
você pode gostar também