-Publi-A-

Lady Di mantém forte influência após 20 anos de sua morte

Tragédia de Di expôs a rigidez das tradições monárquicas do Reino Unido

A grade televisiva do Reino Unido está ao longo desta semana repleta de especiais sobre a vida de Lady Diana Spencer. A programação demonstra o quão popular ainda é a princesa britânica que morreu há 20 anos, vítima de um acidente de carro em Paris, em 31 de agosto de 1997.

A frente do palácio de Buckingham, em Londres, converteu-se em um memorial à Lady Di desde a última terça-feira (29). Diante das grades da residência oficial da família real, admiradores depositam buquês de flores, fotos e mensagens à “princesa do povo”, repetindo o cenário de luto desde 1° de setembro de 1997.

Na época, Diana de Gales, então com 36 anos, estava havia um ano divorciada do príncipe Charles, herdeiro do trono britânico. Ela acompanhava seu namorado, o produtor de cinema egípcio Dodi Al Fayed, durante a tragédia. O automóvel do casal bateu em uma pilastra enquanto tentavam se esquivar de fotógrafos paparazzis.

Os príncipes William e Harry, que atraem a atenção dos tabloides britânicos tal como a mãe, planejam visitar o palácio de Kensington, também em Londres, onde há um jardim branco em memória de Diana. O local não prevê eventos oficiais, mas deverá receber até o final do ano uma estátua de Lady Di, a pedido dos herdeiros.

Além da intensa popularidade mesmo após duas décadas de sua morte, a princesa também mantém forte influência sobre a família real. A tragédia de Di expôs a rigidez das tradições monárquicas do Reino Unido, que tiveram de rever sua imagem pública e modernizar o modo de se comunicar.

Do Folhapress

você pode gostar também