Leilão de patrimônios do Boi Caprichoso é suspenso pela Justiça do Trabalho

Foto: Paulino Produções.

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

Parintins (AM) – O leilão virtual que estava marcado para os dias 18 e 20 de setembro para arrematação do Curral Zeca Xibelão e da Escola de Artes Irmão Miguel de Pascale para pagamento de dívidas trabalhistas do Boi Caprichoso foi suspenso pela Justiça do Trabalho na segunda-feira, 31. A decisão é do juiz Djalma Monteiro de Almeida, do Tribunal Regional do Trabalho. O leilão seria realizado através do link www.amazonasleiloes.com.br.

A data da suspensão do leilão se deu justamente quando o presidente Jender Lobato e o vice-presidente Karú Carvalho completaram um ano à frente da agremiação.

Em nota a Associação Cultural Boi-Bumbá Caprichoso informou que no recurso Agravo de Petição, o Caprichoso busca, por meio de seus advogados, que seja especificado o valor total dos débitos trabalhistas, para o posterior reconhecimento e adesão ao PEPT, Plano de Pagamento da Justiça do Trabalho.

“O presidente Jender Lobato informa que está buscando um entendimento com a Justiça do Trabalho, no sentido de firmar um acordo para salvar o patrimônio do Caprichoso. Jender reconhece o que há um débito alto que há muito tempo vem sendo ‘empurrado com a barriga’ e reforça que o Caprichoso agora vai pagá-lo!”, diz trecho da nota.

A Diretoria informou também que conta com atuação do escritório Lyra Góes & Advogados Associados, que, voluntariamente, tem contribuído na luta pelos bens imóveis da Associação.

“O Boi Caprichoso entende que não há o que comemorar, pois, infelizmente, a dívida é real e precisa ser paga, respeitando um planejamento financeiro e uma capacidade de cumprimento do que for acordado. A Diretoria agradece o apoio incondicional da nação azul e branca, que tem ajudado a Agremiação a conquistar a vitória também fora da arena!”.

A dívida da agremiação com a Justiça do Trabalho é de R$ 4, 1 milhões.

você pode gostar também