Leilão falso: Delegacia de Crimes Cibernéticos alerta para novo golpe

Existe na internet uma infinidade de sites de leilão virtual criados com o objetivo único de aplicar golpes. Só neste ano, foram registrados 67 Boletins de Ocorrência (BOs) de vítimas de crimes praticados nessa modalidade, conforme números da Delegacia Especializada em Repressão a Crimes Cibernéticos (DERCC), da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM). Para estes casos, inquéritos policiais foram instaurados para apurar as práticas criminosas e seguem em total sigilo, para não atrapalhar o trabalho da polícia.

Anúncios em redes sociais atraem os interessados com produtos, especialmente veículos, aparentando boa qualidade. Ao fazer cadastro nesses sites fraudulentos, a vítima envia cópias de documentos e, a partir disso, recebe ligações de falsos funcionários para confirmar dados e o acesso à suposta plataforma de leilões.

“Os inquéritos estão em sigilo, mas a delegacia está sempre trabalhando na prevenção para que a população não caia nesses golpes”, enfatizou a delegada Ana Cristina Braga, responsável pela investigação de crimes cibernéticos no Amazonas.

A delegada detalha como funciona o golpe: “Normalmente, as vítimas conseguem arrematar os veículos desejados já nos primeiros lances. Em seguida, recebem uma carta ou termo de arrematação, contendo os dados das contas bancárias de pessoas físicas, que são os próprios golpistas ou “laranjas”, para onde será enviado o dinheiro”.

Assim que fazem o desembolso e enviam os comprovantes por aplicativos de mensagem instantânea, as vítimas são bloqueadas pelos criminosos e não conseguem mais informações sobre o produto, muito menos o dinheiro de volta. O ideal é nunca fechar negócio antes de verificar pessoalmente o objeto a ser arrematado. Os golpistas trabalham on-line e criam sites falsos.

“Os sites são cadastrados em servidores de fora do Brasil. Os criminosos contratam empresas que guardam os dados do dono do perfil. As contas bancárias são cadastradas em nome de ‘laranjas’ com endereços falsos”, explica a delegada.

Titular da Delegacia Especializada de Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), o delegado Aldeney Góes disse que os estelionatários passaram a observar o crescimento das compras on-line por conta da pandemia. Porém, os golpes nessa modalidade também podem ser evitados com maior facilidade.

“Toda atenção é necessária. Na dúvida, deve-se procurar o endereço da empresa do site ou uma delegacia mais próxima. Sobre enviar seus dados por meio de links, evitar esse tipo de ação, sempre desconfiar. A reputação do site também deve ser observada, por meio de site de procura. Checar sempre, antes de fechar qualquer negócio”, ressaltou.

Outra dica importante é observar a utilização de sites de leilões famosos no Brasil. Em alguns casos, os golpistas criam páginas com domínios semelhantes aos sites verdadeiros.

Orientações do Detran-AM – Em outubro, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM) emitiu orientações para se prevenir desse tipo de golpe. Negociações por aplicativos de mensagens e a impossibilidade de visitar pessoalmente o bem que está sendo leiloado são situações que devem servir de alerta de fraude.

Também é preciso atentar para os endereços eletrônicos dos sites. As páginas fraudulentas, geralmente, utilizam-se de domínios “.org” ou “.net”, que são hospedados fora do país e que dificultam investigações. As páginas falsas também usam layouts semelhantes ao das páginas verdadeiras, com fotos reais de leilões, para tentar imprimir seriedade.

“Quando você participa de um leilão, jamais são enviadas fotos do veículo ou venda direta, pois se trata de uma concorrência. Os golpistas dizem para a vítima que não podem mostrar o veículo por conta da pandemia. Mas se isso acontecer, você deve se precaver, desconfiar, e procurar a polícia imediatamente”, disse a coordenadora da comissão de leilões do Detran, Gleice Barros.

Após o arremate pelo cliente, um boleto é emitido no nome do leiloeiro registrado, e jamais no de outra pessoa. Os leiloeiros são oficiais e credenciados pelo Detran-AM. Os donos de site de leilões verdadeiros estão transmitindo ao vivo o leilão, ou seja, é possível ver a figura do leiloeiro. Ele tem cadastro na Junta Comercial.

De acordo com o leiloeiro Luiz de Chirio Júnior, proprietário do site Leilões do Norte, existem maneiras eficazes de não cair nessas armadilhas. “Uma das formas mais confiáveis é saber o nome do leiloeiro no site ou no bate papo, entrar no site da junta comercial, pois lá temos a relação de todos os leiloeiros credenciados”, destacou.

Vítimas de algum crime relacionado à compra em leilões falsos podem procurar a DERCC, que está situada nas dependências da Delegacia Geral, na avenida Pedro Teixeira, bairro Dom Pedro, zona Centro-Oeste de Manaus. Também é possível registrar o BO pelo site www.delegaciainterativa.am.gov.br.

você pode gostar também