-Publi-A-

Live Parintins 2021: Boi Caprichoso mantém compromisso e paga todo quadro de artistas

Mais que obrigação, compromisso com o trabalhador do Boi Caprichoso. Os artistas de alegorias e figurinos que atuaram e os que não atuaram no espetáculo "Cultura que Resiste” na Live Parintins 2021, na arena do Bumbódromo, em 26/06, começaram a receber pagamentos de serviço nesta terça-feira (06/07). A remuneração foi coordenada pelo presidente, Jender Lobato e o vice-presidente, Karú Carvalho.  Costureiras, soldadores, eletricistas, coordenadores, coreógrafos, alegoristas, pasteladores, pintores, escultores, figurinistas, artesãos, entre outros setores, receberam suas remunerações como esperança de que no próximo ano, com o avanço da vacinação contra a Covid-19, o Festival de Parintins aconteça.  Na parceria com o Governo do Estado do Amazonas, o presidente do Caprichoso, Jender Lobato, e o vice-presidente Karú Carvalho se esforçaram, incansavelmente, para resolver a parte burocrática para que os recursos fossem liberados e, assim,  contribuir com os artistas que ficaram há mais de um ano sem renda. O ex-pajé e artista, Waldir Santana, evidenciou a seriedade, compromisso, juventude, experiência e respeito de Jender Lobato com o Boi Caprichoso. “Essa ação de valorização e respeito ao artista mostra o lado sério, de caráter, um amigo que, nas horas mais difíceis, lutou por nós que passamos momentos difíceis”, disse.  Para o artista de alegoria, Algles Ferreira, a gestão de Jender e Karu faz a diferença, remunerando os trabalhadores da live, das obras do curral e os demais setores que estiveram envolvidos no processo artístico e administrativo do bumbá. “O presidente Jender Lobato, mais uma vez, faz a diferença e tenho certeza que todo mundo está muito feliz com essa ação”, comemorou.  O vice-presidente, Karu Carvalho, lembra que o dia 6 de julho, quando começa a festa da padroeira de Parintins, Nossa Senhora do Carmo, era dia tradicionalmente de pagamento na gestão do presidente tricampeão, Rai Viana. “Relembrei as coisas boas daquela época que coincidem com nossa gestão. Esse é nosso compromisso com o trabalhador Caprichoso e assim vamos construindo um boi campeão dentro da arena e fora dela”, assinalou.  Para Jender Lobato, o seu maior compromisso é ajudar os artistas do Boi Caprichoso que foram os primeiros trabalhadores atingidos pela pandemia da Covid-19. O Boi Caprichoso, além de pagar quem trabalhou na live, também vai pagar os artistas que não atuaram na realização da apresentação na arena do Bumbódromo, pois, para evitar aglomerações, tiveram que ficar de sobreaviso. “Embora tenhamos uma live que não seja um festival, a gente não pode contar com a presença de todos os artistas, mas temos o compromisso em ajudar esses artistas. Nós ficamos muito felizes em ver a felicidade estampada no rosto de cada artista que conseguiu uma remuneração, depois de dois anos sem ter nenhum tipo de festival, sem ter nenhum tipo de festa, sem ter nenhum tipo de evento”, assegura Lobato.  O dirigente do boi da estrela na testa reafirma sua esperança de que no próximo ano o Festival de Parintins possa ser retomado, principalmente, com o avanço da vacinação no Estado do Amazonas. “Estamos na esperança de que as pessoas sejam vacinadas e que logo possamos lançar a nova data do festival. Que possamos voltar com muita força, promover grandes espetáculos e fazer essa grande contratação de artistas que fazem acontecer o maior festival folclórico do planeta”, concluiu. 

Mais que obrigação, compromisso com o trabalhador do Boi Caprichoso. Os artistas de alegorias e figurinos que atuaram e os que não atuaram no espetáculo “Cultura que Resiste” na Live Parintins 2021, na arena do Bumbódromo, em 26/06, começaram a receber pagamentos de serviço nesta terça-feira (06/07). A remuneração foi coordenada pelo presidente, Jender Lobato e o vice-presidente, Karú Carvalho.

Costureiras, soldadores, eletricistas, coordenadores, coreógrafos, alegoristas, pasteladores, pintores, escultores, figurinistas, artesãos, entre outros setores, receberam suas remunerações como esperança de que no próximo ano, com o avanço da vacinação contra a Covid-19, o Festival de Parintins aconteça.

Na parceria com o Governo do Estado do Amazonas, o presidente do Caprichoso, Jender Lobato, e o vice-presidente Karú Carvalho se esforçaram, incansavelmente, para resolver a parte burocrática para que os recursos fossem liberados e, assim,  contribuir com os artistas que ficaram há mais de um ano sem renda. O ex-pajé e artista, Waldir Santana, evidenciou a seriedade, compromisso, juventude, experiência e respeito de Jender Lobato com o Boi Caprichoso. “Essa ação de valorização e respeito ao artista mostra o lado sério, de caráter, um amigo que, nas horas mais difíceis, lutou por nós que passamos momentos difíceis”, disse.

Para o artista de alegoria, Algles Ferreira, a gestão de Jender e Karu faz a diferença, remunerando os trabalhadores da live, das obras do curral e os demais setores que estiveram envolvidos no processo artístico e administrativo do bumbá. “O presidente Jender Lobato, mais uma vez, faz a diferença e tenho certeza que todo mundo está muito feliz com essa ação”, comemorou.

O vice-presidente, Karu Carvalho, lembra que o dia 6 de julho, quando começa a festa da padroeira de Parintins, Nossa Senhora do Carmo, era dia tradicionalmente de pagamento na gestão do presidente tricampeão, Rai Viana. “Relembrei as coisas boas daquela época que coincidem com nossa gestão. Esse é nosso compromisso com o trabalhador Caprichoso e assim vamos construindo um boi campeão dentro da arena e fora dela”, assinalou.

Para Jender Lobato, o seu maior compromisso é ajudar os artistas do Boi Caprichoso que foram os primeiros trabalhadores atingidos pela pandemia da Covid-19. O Boi Caprichoso, além de pagar quem trabalhou na live, também vai pagar os artistas que não atuaram na realização da apresentação na arena do Bumbódromo, pois, para evitar aglomerações, tiveram que ficar de sobreaviso. “Embora tenhamos uma live que não seja um festival, a gente não pode contar com a presença de todos os artistas, mas temos o compromisso em ajudar esses artistas. Nós ficamos muito felizes em ver a felicidade estampada no rosto de cada artista que conseguiu uma remuneração, depois de dois anos sem ter nenhum tipo de festival, sem ter nenhum tipo de festa, sem ter nenhum tipo de evento”, assegura Lobato.

O dirigente do boi da estrela na testa reafirma sua esperança de que no próximo ano o Festival de Parintins possa ser retomado, principalmente, com o avanço da vacinação no Estado do Amazonas. “Estamos na esperança de que as pessoas sejam vacinadas e que logo possamos lançar a nova data do festival. Que possamos voltar com muita força, promover grandes espetáculos e fazer essa grande contratação de artistas que fazem acontecer o maior festival folclórico do planeta”, concluiu.

você pode gostar também