Marcelo Ramos comemora liberação de mais de R$ 116 milhões para combate à Covid-19

Manaus (AM) – Em sua primeira viagem oficial, o ministro da saúde, Nelson Teich, cumpriu agenda intensa em Manaus, quando anunciou ajuda ao Amazonas com recursos humanos e aparelhagem, e que a logística utilizada será do Comando Militar da Amazônia, um dos pontos da visita de Teich. Mas o melhor ainda estava por vir.

Acompanhando a comitiva do ministro da Saúde, o deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM) informou que foram publicadas as portarias liberando todas as emendas individuais e da bancada amazonense no Congresso Nacional, no total de R$ 116.834.308,00, dos quais R$ 18.139.051,16 são emendas individuais de Ramos.

“É assim, com a união dos governos federal, estadual e da bancada do Amazonas que vamos conseguir salvar mais vidas, equipando as unidades de saúde, trazendo mais profissionais pra se somaram à luta contra a Covid-19, entre outras ações importantes”, disse Marcelo Ramos.

Boa parte dos recursos das emendas do parlamentar foi destinada para 16 municípios do interior do Amazonas, que não dispõe de nenhum leito de UTI. São eles Anamã, Benjamin Constant, Careiro da Várzea, Cabapiranga, Careiro Castanho, Eirunepé, Lábrea, Manacaputu, Parintins, Pauini, Urucurituba, Juruá, Fonte Boa, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença e Tapauá.

No início da manhã, Teich visitou o Comando Militar da Amazônia para se reunir com autoridades da Marinha, Aeronáutica e Exército Brasileiro e definir ações de enfrentamento à Covid-19 no Amazonas. Em seguida, o ministro seguiu para visitar hospitais da capital. No domingo, a pauta principal foi um debate sobre o apoio logístico que está sendo empregado pelas Forças Armadas no combate ao coronavírus.

A vinda foi para conhecer o CMA, ver toda a parte de logística e planejamento que do que vai ser usado para ajudar a gente no auxílio às pessoas, na melhora da atuação do sistema, para que a gente consiga acelerar o cuidado que a gente está oferecendo para as pessoas”, disse Teich na saída do comando.

O Amazonas vive um cenário preocupante: são mais de mais de 6.600 casos confirmados e 548 óbitos. Já os sistemas de saúde e funerário estão à beira de um colapso, co quase 90% dos leitos de UII ocupados e média de 100 enterros por dia.

você pode gostar também