-Publi-A-

Maria Alencar desiste e diz que executivo interfere na eleição da CMP

Vereadora Maria Alencar desistiu de sua candidatura.

A vereadora teria apenas dois votos e não teria nomes suficientes para montar sua chapa

Parintins (AM) – O clima para eleger Maildson Fonseca (PSDB) era favorável, mas o pleito, no poder legislativo, será o mais fácil das últimas legislaturas. Na manhã deste domingo, 1 de janeiro de 2017, na sessão de posse dos parlamentares de Parintins, o professor da Universidade Estadual do Amazonas e vereador de segundo mandato será anunciado presidente da CMP.

No início da noite deste sábado, 31, a vereadora Maria Alencar, a Nega, (PSD) anunciou, por meio de sua conta em uma rede social, sua desistência em disputar a presidência da Câmara Municipal de Parintins. Na realidade, a vereadora não teria nomes para compor a sua chapa, já que pelas contas dos vereadores teria apenas dois votos. Em nota ela afirmou que acreditava em uma câmara independente com a eleição de sua chapa e reconheceu que não tem chances de vencer “a chapa do executivo”. “Não coloquei meu nome na disputa como um projeto pessoal, mas coletivo, porque acreditava realmente que seria possível ter uma Câmara independente como diz a própria Constituição”, escreveu.

Nega, também lamentou as declarações do prefeito Bi Garcia, que na opinião dela, deixou claro a interferência do executivo no pleito deste domingo. “Reconheço a vitória do Executivo perante o Legislativo, mas lamento a infelicidade do prefeito em suas declarações quando disse que tinha interesse e compromisso de eleger o presidente da Casa. Como um poder independente, a Câmara tem a função principal de legislar e fiscalizar o Poder Executivo. Uma Câmara atrelada ao executivo poderia repetir os erros do passado e a minha pretensão na disputa jamais foi poder e vaidade e sim o resgate da moralidade e harmonia entre meus pares”, afirmou.

Vereador Maildson Fonseca (PSDB) assume a presidência da CMP neste domingo.

Em conversa na manhã deste sábado com o Portal 24 horas o vereador Maildson Fonseca preferiu minimizar o tom de favoritismo. Afirmou que a câmara precisa dos onze vereadores para que realize um trabalho positivo. “A identidade da câmara de Parintins não pode ser maculada e ao mesmo tempo tem que ser limpa pelo que aconteceu no passado. A Câmara precisa não apenas ser independente, mas precisamos ser parceiros da prefeitura de Parintins”, assegurou.

A chapa de Maildson Fonseca irá administra o legislativo de 2017 a 2018. A chapa dele será formada com o vice – presidente, Beto Farias (PTN), a vereadora Vanessa Gonçalves (PROS) será a 1ª Secretária enquanto Afonso Rocha Caburi (PTB) será o 2° secretário.

Leia abaixo o comunicado na integra da vereadora eleita Maria Alencar

Comunicado

Venho com muita humildade comunicar a decisão de não disputar a presidência da Câmara Municipal de Parintins, por entender que sendo a candidata do Legislativo não teria chance de disputar com o candidato do Executivo.

Não coloquei meu nome na disputa como um projeto pessoal, mas coletivo, porque acreditava realmente que seria possível ter uma Câmara independente como diz a própria Constituição. A harmonia entre poderes me motivou a colocar meu nome à apreciação dos colegas. É legítimo que os vereadores tenham feito a escolha por um candidato, isso é democracia. A Casa Legislativa é a casa do povo, nada mais natural também que entre os pares seja respeitada a opinião da maioria.

Reconheço a vitória do Executivo perante o Legislativo, mas lamento a infelicidade do prefeito em suas declarações quando disse que tinha interesse e compromisso de eleger o presidente da Casa.

Como um poder independente, a Câmara tem a função principal de legislar e fiscalizar o Poder Executivo. Na minha concepção era mais que natural que o processo de escolha fosse um processo interno, que não sofresse influência de poder nenhum, muito menos daquele fiscalizado pela Câmara.

Entendo que sendo poderes distintos, mas harmônicos entre si, precisam trabalhar com independência em defesa da população. Uma Câmara atrelada ao executivo poderia repetir os erros do passado e a minha pretensão na disputa jamais foi poder e vaidade e sim o resgate da moralidade e harmonia entre meus pares.

No entanto, torço para que o presidente trabalhe de forma independente e cumpra o seu papel da forma mais autônoma possível.

Serei uma vereadora voltada para atender aos anseios da população e farei o meu papel de fiscal do Poder Executivo e legislar em prol da população.

Tenho absoluta certeza de que vai ser um mandato exitoso porque o meu compromisso é com o povo que é o patrão de todos nós.

Somos servidores públicos e o nosso chefe é o cidadão parintinense. A ele nos cabe a lealdade.

Que em 2017 seja feita apenas a vontade de Deus e do povo.

você pode gostar também