Marquito, assistente de palco de Ratinho, é investigado por suspeita de peculato

Vereador teria feito funcionários devolverem a ele parte dos salários

O Ministério Público Estadual (MPE) abriu uma investigação contra o vereador Marco Antônio Ricciardelli, o Marquito (PTB), conhecido por sua atuação no “Programa do Ratinho”, por suspeita de reter salários de funcionários do seu gabinete.

De acordo com Rádio Estadão e o jornal O Estado de S. Paulo, que tiveram acesso à investigação, dois ex-funcionários de Marquito prestaram depoimento ao promotor de Justiça Cassio Conserino, na semana passada.

Além dele, Edson Roberto Pressi, apresentado na Câmara Municipal de São Paulo como assessor, chefe de gabinete e advogado do vereador, é investigado por participar do suposto esquema. Ele negou as acusações.

No depoimento, um dos empregados relatou que foi nomeado assessor parlamentar em fevereiro de 2013, com salário de R$ 8.000. Em seu primeiro pagamento, entretanto, teve de devolver metade dos rendimentos ao gabinete, por ordem de Pressi.

O funcionário, que questionou a medida, teve o salário reduzido ainda mais, passando a R$ 2.500 mensais.  O chamado “dízimo” cobrado pelo vereador teria sido revelado em um vídeo apreendido pela promotoria. Na gravação, Pressi afirma ao empregado que ele precisaria devolver $ 3.390 do seu rendimento todos os meses.

O promotor de justiça avaliou que há suspeita de crimes de peculato (apropriação de bem ou de dinheiro público para fins particulares) e, na área cível, de improbidade administrativa (desonestidade na condução da função pública com fins de enriquecimento ilícito e prejuízo aos cofres públicos).

“A investigação, que ainda está no começo, não se resume a declarações apenas. Já há um conjunto de provas materiais que vão desde extratos bancários com os saques na boca do caixa de valores altos para supostamente repassar ao vereador a vídeos que registraram o tal pedido. Os fatos são graves”, declarou.

Conserino destacou ainda o fato de alguns empregados receberem salário muito acima do valor de mercado. Ele investigará se a quantia é elevada para poder gerar a devolução substancial a Marquito.

Procurado por IMPRENSA, o SBT disse que não comenta assuntos pessoais de seus colaboradores. O gabinete do vereador ainda não se posicionou sobre o assunto.

Fonte: Portal Imprensa

você pode gostar também