-Publi-A-

Médico da linha de frente alerta ‘não é o mesmo vírus do começo’

Foto: Liam Cavalcante.

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

Parintins (AM) – O médico anestesista Daniel Tanaka, que atua no Hospital Jofre Cohen, referência no tratamento do novo coronavírus em Parintins, informou que está se observando casos de jovens que não possuem comorbidades tendo uma forma grave de Covid-19, o que não era presenciado no início da pandemia.

“Acreditamos também que isso se deve ao aumento do número de jovens contaminados que aí resulta que alguns fiquem graves, é claro, mas a própria biologia da doença estamos acreditando que tem algumas cepas de coronavírus que são bem agressivas, inclusive em pacientes jovens, o que acende um alerta de que não são só idosos têm de fazer prevenção, usar máscara, tomar as medidas de distanciamento, todos têm que fazer isso porque não sabemos com qual vírus estamos lidando. Já sabemos que a Covid-19 é traiçoeira, mas ela nos surpreende a cada dia”, disse Daniel Tanaka.

Daniel Tanaka alerta também a população que a lotação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Manaus pode fazer com que pacientes que precisarem tratar de outras doenças irem óbito devido à falta de vaga nesses leitos, tendo em vista que no Amazonas, casos graves são transferidos para a capital.

“A população tem que se conscientizar que nós estamos em estado de guerra no país, mas o Amazonas se destaca como o pior estado nesse momento. E com isso também está a questão do capacete, que é algo crítico em Parintins. Nós tivemos há uma ou duas semanas atrás sete traumatismos cranianos graves que tivemos que intubar cinco deles e alguns foram até a óbito. Não terá leitos para operar essas pessoas na capital. Então essas pessoas que baterem a cabeça aqui por estarem sem capacete vão morrer. Não tem espaço para acidente. Já estamos lotados de Covid no estado todo e de outras doenças. Portanto as causas evitáveis, que são as externas, têm que zerar nesse momento”, falou o médico.

“Nós temos um hospital de referência que é a Fundação Cecon na capital, que é o único hospital oncológico do estado que está tratando de pacientes que têm câncer, mas estão no quadro de Covid-19. Isso está consumindo leitos naquela instituição e se está usando aqueles leitos quem está deixando de ser tratado? Pacientes que poderiam estar fazendo sua quimioterapia, internados, fazendo suas cirurgias oncológicas, ou seja, a Covid-19 não mata só de Covid-19, ela mata de outras doenças pelo colapso do sistema de saúde”, prosseguiu.

você pode gostar também