Médicos se reúnem para comprar material para hospital de RR e salvar médico parintinense

Foto: Ascom/Sesau.

Roraima – Médicos procuraram a reportagem para denunciar que falta material hospitalar para realizar procedimentos básicos no Hospital Geral de Roraima (HGR). Segundo os profissionais, o ortopedista Marcus Brunner, de 33 anos, está intubado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), onde está internado desde o dia 24 deste mês, após diagnosticado com a covid-19.

“Estamos fazendo essa denúncia, porque precisamos denunciar. Ele era um dos médicos que estava na linha de frente para tratar pacientes com covid e agora não tem qualquer assistência do Estado. Para ter uma ideia da gravidade dessa denúncia, nós do grupo de médicos fizemos uma cota para comprar mais de R$ 10 mil em insumos. Não tem nada no HGR! Não é justo com os pacientes e não é justo com o médico que tanto se esforçou para cuidar das pessoas”, desabafou um dos profissionais que pediu para não ser identificado.

Outro médico que fez a denúncia, temendo represálias, informou que as vítimas da covid-19 também são vítimas da corrupção. “A gente percebe claramente que tem desvio no dinheiro que deveria ser empregado para tratar dos casos de coronavirus. Se a gente não se unisse para ajudar o colega internado, nem sei como ele estaria agora. Nossa preocupação é salvar a vida dele e infelizmente não podemos fazer isso por todo mundo. Imaginem a situação de quem não pode comprar nada para o familiar internado. É doloroso e a gente sente na pele todos os dias”, enfatizou.

Marcus Brunner é formado pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e atua como ortopedista no HGR desde agosto de 2017. Ele exerce suas funções por meio da Coopebras (Cooperativa Brasileira de Serviços Múltiplos de Saúde).

Outra profissional denunciou também que o HGR está sem tomografia, não tem sedativos, antibióticos, sem filtro e sem sistema fechado de respiração. “Os casos de covid estão aumentando, e algo já deveria ter sido feito e com urgência, para evitar que mais pessoas não venham a óbito”, ressaltou.

OUTRO LADO – A Secretaria de Estado da Saúde enviou nota à redação. Confira na íntegra:

“A Secretaria de Saúde informa que o paciente está sendo assistido na UTI do HGR (Hospital Geral de Roraima Rubens de Souza Bento), por uma equipe multidisciplinar.

Por meio da CGAF (Coordenadoria Geral de Assistência Farmacêutica) esclarece que os materiais, entre seringas e tubos estão sendo disponibilizados para as unidades hospitalares.

Em relação aos medicamentos citados, a gestão reforça que já deu início a processos para a aquisição de medicamentos a fim de manter o abastecimento contínuo das unidades hospitalares que integram a rede estadual.

Nesse sentido há pregões em fase de licitação para aquisição de diversos itens.

É importante esclarecer que boa parte dos medicamentos refere-se a remédios disponibilizados para pacientes vítimas da Covid-19 que estão em escassez no mercado farmacêutico mundial, o que tem dificultado a aquisição pelos Estados, mas a gestão tem intensificado os trabalhos para promover o reabastecimento do estoque das Unidades Hospitalares de forma plena o mais breve possível”.

Por FolhaBV

você pode gostar também