Médium e sacerdote Alan Barbieri lança livro sobre Pombagira e pede respeito às diferenças religiosas

O preconceito com as religiões de matrizes africanas ainda é uma triste realidade no Brasil. A intolerância contra as diferentes crenças e opiniões são reflexos de uma sociedade preconceituosa e que muitas vezes desconhece a própria história. Para desconstruir esse estigma, explicar as características da religião e principalmente mitigar a intolerância contra as pessoas que seguem a Umbanda, o médium e sacerdote Alan Barbieri acaba de lançar seu mais novo livro: Pombagira.

“Esse livro é para desconstruir tudo de errado que as pessoas que desconhecem a religião muitas vezes propagam por aí. Fiz um compilado de informações históricas, com fundamentos religiosos e culturais que explica desde o surgimento da religião até os rituais que são feitos e seus significados”, adianta.

O lançamento do Pombagira coincide com um triste acontecimento de intolerância veiculado nas redes sociais.

“O pastor André Valadão, um líder religioso da igreja evangélica, fez uma publicação um tanto quanto ofensiva e desrespeitosa. Na postagem ele responde a uma pergunta que tem relação com Pombagira, e, sem nenhum conhecimento e respeito, fere milhares de pessoas ao assumir uma postura preconceituosa”, relata o médium.

Segundo dados do Censo de 2010, no país, cerca de 407 mil pessoas se declaram seguidoras da Umbanda. Ao todo, mais de 600 mil seguem alguma religião de matriz africana.

“Acredito que nós, líderes religiosos, temos a obrigação de propagar o respeito ao próximo. Independente da crença, temos que transmitir mensagens de paz, respeito e amor a quem quer que seja. Sobretudo em tempos tão complicados. É muito triste ver uma referência religiosa se portar de maneira tão infeliz e preconceituosa como fez o pastor. Espero que ele se retrate”, finaliza.

O livro já está disponível para compra no site da própria editora: www.editoramariwo.com.br.

você pode gostar também