Menina de 9 anos monta loja virtual e ajuda a complementar renda da família em Manaus

Em Manaus, a estudante Anna Sophia Araújo, de 9 anos de idade, surpreendeu a família ao montar seu primeiro negócio e ajudar nas contas de casa após aprender sobre empreendedorismo na escola.

Anna criou uma loja virtual de bijuterias, onde vende suas produções manuais. O empreendimento de Anna iniciou após a estudante, que hoje cursa o 5º ano, ter aulas de empreendedorismo na escola e decidir confeccionar bijuterias com miçangas coloridas e vender os produtos para amigos, familiares e seguidores nas redes sociais. Com as aulas que recebeu, Anna já tinha noção sobre como conquistar clientes e obter lucro com as vendas.

De acordo com a mãe de Anna, a pedagoga Suellen Araújo, de 34 anos, o desejo da menina começou em 2019, mas ganhou força durante o isolamento social provocado pela pandemia, em 2020.

“Ela queria fazer alguma coisa pra ganhar o dinheiro dela. Então a minha sogra começou a comprar algumas peças para a produção, feitas de pérola, miçangas, que de alguma forma ajudasse ela a começar a fazer os produtos. Ela começou com pulseirinha, depois foi fazendo colares e com isso ela foi tendo mais interesse, mas o que realmente desencadeou e fez ela ter vontade de abrir a lojinha foi a pandemia, porque ela tava muito tempo dentro de casa, estava ociosa”, conta a mãe de Sophia.

 

Todo o processo também aconteceu após a menina cursar uma matéria sobre empreendedorismo na escola. Hoje ela participa de feiras de empreendedorismo que a instituição promove todos os anos.

Suellen conta que durante as aulas a menina aprendeu mais sobre como fidelizar clientes e fazer as contas para comprar mais matéria prima.

“Atualmente ela continua a ter aulas de empreendedorismo na escola. Ela voltou pras aulas presenciais e aprende muito sobre economia, sobre ganhar o próprio dinheiro. Ela até faz as contas para separar a quantia necessária para comprar mais material e continuar cada vez mais com as produções”, diz Araújo.

 

Além de ajudar a comprar itens pessoais, o dinheiro que Anna juntou com as vendas auxiliou a família com contas como o plano de saúde e alimentação no momento em que o pai estava desempregado. Com as vendas, a menina já chegou a faturar cerca de R$ 500 em um mês.

“Ela fatura em torno de R$ 400 a R$ 500 reais mensalmente. Hoje em dia esse dinheiro ajuda tanto a comprar itens de uso pessoal que ela precisa, como uma boneca, farda, tênis, lanche da escola e algo assim, mas também ajuda a pagar a mensalidade escolar e já ajudou a pagar nosso plano de saúde e alimentação para casa”, conta.

 

Loja virtual criada por Anna Sophia.  — Foto: Reprodução/Redes sociais
Loja virtual criada por Anna Sophia. — Foto: Reprodução/Redes sociais

 

Sentimento de Orgulho

 

E o sentimento da família é de orgulho com o comprometimento e empenho de Anna. Suellen considera a educação a respeito da economia um diferencial para a filha.

“Temos muito orgulho por querer e ter vontade e interesse para saber quanto custa o valor das coisas. Não é só a criança querer o item, mas ter consciência de como ela faz para conquistar aquele item. Além de estudar, ela também tem muito comprometimento com o que faz e isso faz a diferença. A gente tá muito feliz por ela estar empreendendo e pelo sucesso da lojinha dela”, finaliza.

Com informações do g1

você pode gostar também