Mestre e discípulo dividem trabalho 40 anos depois da criação da primeira alegoria

Por Gerlean Brasil

Há 40 anos, o Festival Folclórico de Parintins viu pela primeira vez uma alegoria, uma paisagem amazônica, obra do artista plástico autodidata, Jair Mendes, com a ajuda de Vandir Santos. Tudo muito simples, feita de madeira, com dois metros de largura com três metros de altura, composição de cenário, a novidade apresentada pelo Boi-Bumbá Garantido encantou o público, em 1979.

O trabalho pioneiro marcou ainda o destaque da figura humana, representada por Jeane Mendes, na época com 11 anos, como elemento surpresa escondida no centro da alegoria, pois Jair fez da própria filha a personagem da mãe dos rios, hoje retratada com a aparição de itens individuais femininos. Manipulados por linhas, barcos navegaram, pássaros voaram, onças mexeram a cabeça.

Paisagem amazônica é a primeira alegoria do festival de Parintins, criada por Jair Mendes com ajuda de Vandir Santos, em 1979.

Esse é considerado o ponto de partida para o festival de Parintins contar com a presença de alegorias nas apresentações dos bumbás. Quatro décadas depois, o mestre Jair Mendes, 77 anos, e o discípulo Vandir Santos, 60 anos, agora estão juntos em um mesmo trabalho no Boi Garantido: Celebração Folclórica “Sonhos de Liberdade”. O momento emblemático vai marcar a apresentação do Boi Garantido no 54º Festival Folclórico de Parintins.

Por influência do trabalho dos dois artistas, a festa dos bumbás passou a ter alegorias e as estruturas cresceram ao longo de 40 anos. “Quando ele fez a primeira alegoria, em 1979, eu o ajudei. Hoje, a história se repete, mas agora como dois mestres”, revela, sorridente, Vandir Santos.

Em 2019, a alegoria, confeccionada pelo mestre e o discípulo, tem 19 metros de altura, 31 metros de boca de cena, 10 módulos, com a participação de 100 dançarinos, quando for executada na arena do Bumbódromo, na abertura da apresentação do Boi Garantido, na noite de hoje.

Vandir Santos e Jair Mendes construíram juntos alegoria de Celebração Folclórica do Boi Garantido para a terceira noite de festival, em 2019.

 

Fotos: João Gustavo Melo e arquivo

Imagem ilustrativa: Revista Boi Garantido 2019

você pode gostar também