Militantes históricos rompem com PCdoB e promovem campanha de desfiliação em Parintins

Ex-comunistas dizem que o PCdoB se tornou partido de conchavos, tendo prioridades escusas de interesses pessoais. Foto: Reprodução

Ex- camaradas afirmam que o partido abandonou as posições combativas, libertárias para assumir posição de cordeiro recuista, de obediência ao Comitê Estadual

Marcondes Maciel | Especial Parintins 24 horas

[email protected]

Parintins – Um grupo de militantes do quadro mais ideológico do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), em Parintins, em reunião realizada na manhã de sábado, no escritório jurídico Affonso Rodrigues, comunicou o início de uma campanha de desfiliação em massa do partido. No Estado o partido é liderado pela senadora Vanessa Grazziotin e o ex-deputado Eron Bezerra.

No encontro ouve o lançamento do movimento político, cultural e social “Coletivo Tomaszinho Vive”, organismo que vai impulsionar as lutas populares do grupo no município. “Estamos saindo com mais de 100 filiados do PCdoB. Isso porque nós acreditamos que é possível continuar lutando sem estar filiado de forma partidária”, afirmou o ex-camarada e um dos líderes do movimento, Affonso Rodrigues.

De acordo com ex-presidente do PCdoB, Rui Brito, lamentavelmente uma medida mais radical tenha que ser tomada por entender que a sigla tem relegado o histórico de militantes em detrimento de uma minoria. “Nós não estamos saindo do partido, que demos os melhores anos de nossas vidas, para abraçar uma tendência e postura neoliberal, ao contrário que muitas pessoas fazem quando saem de um partido de esquerda”, disse Brito.

O ex-líder comunista em Parintins, ressaltou que o grupo vai radicalizar as posições que sempre defendeu que são as posições do marxismo científico. “Nós não estamos saindo do partido, é o partido que saiu de nós, o partido é que abandonou as posições combativas, libertárias para assumir uma posição de cordeiro recuista, de obediência ao Comitê Estadual”, defendeu.

Brito assegurou que em nenhum momento os militantes históricos tiveram uma posição indisciplinada em relação ao cumprimento do estatuto ou em relação a qualquer organismo do partido, entretanto, na atual conjuntura política em que se encontra o PCdoB local, se faz necessária esse posicionamento por conhecerem a fundo o quadro político. “O Coletivo Tomaszinho Vive é uma homenagem ao grande revolucionário, o único desaparecido político de Parintins. É neste coletivo que vamos radicalizar a luta”, avisou.

PCdoB

Rui Brito anunciou ainda que por deliberação do grupo o nome a ser apoiado para o pleito eleitoral de 2016 é do funcionário do Ibama Messias Cursino. “O Messias merece nosso apoio por sua postura ficha limpa, pelo convívio que ele tem com as massas trabalhadoras, pelo que os trabalhadores podem lucrar com a gestão do Messias Cursino”, disse.

Para o militante Affonso Rodrigues, nos seus mais de 30 anos de luta em defesa das convicções ideológicas do PCdoB em Parintins, quando se sobrepõe os interesses de uma minoria e não do coletivo o partido segue na contramão do que preconiza o estatuto comunista. “O PCdoB prima e prioriza o centralismo democrático, onde suas decisões são deliberadas de forma coletiva, as discussões são acirradas, mas quando há deliberação, essa deliberação passa a ser do coletivo”, pontuou.

Affonso frisou que infelizmente o princípio do centralismo democrático não está mais acontecendo no PCdoB em nível nacional, regional e principalmente aqui em Parintins. Ele ressaltou que o partido está indo por caminhos tortuosos que não vão de encontro com os anseios do estatuto do partido, da própria sociedade, na contramão da história. “E nós por sermos militantes antigos, que acreditam em uma sociedade mais justa, mas humana, mais igualitária, nós temos compromisso com a sociedade de Parintins. Nós não aceitamos esse tipo de política que é desenvolvida em nossa cidade e por isso nós somos eternos combatentes e vamos combater sempre que for preciso”, disse.

Rodrigues destacou que o grupo sai do PCdoB, porém, não está entrando para nenhum partido neoliberal e sim para trilhar caminhos que adequem a convivência política democrática.  “Infelizmente o PCdoB hoje se tornou um partido igual a qualquer outro, fazendo conchavos, tendo prioridades escusas de interesses pessoais. Isso nós jamais vamos aceitar no nosso convívio”, afirmou o ex-camarada Affonso Rodrigues.

você pode gostar também