Moradores de Manacapuru terminam 2016 sem ter o que comemorar

A terra das cirandas, ou a “Princesinha do Solimões”, como é conhecido a cidade de Manacapuru (a 89 km de Manaus), está abandonada. O atual prefeito, Jaziel Nunes (PMDB), o “Tororó”, vai terminar sua gestão deixando uma herança de ruas esburacadas e sem iluminação pública, se com muito lixo espalhado pela cidade.

“Nossos bairros estão em estado de calamidade. Esse prefeito não fez nada pelo nosso município. As ruas estão cheias de buracos, a saúde, educação, segurança, tudo está em situação precária. Quando precisamos de atendimento médico, temos que ir para Manaus, pois aqui não tem mais médicos. Se for um caso de emergência, a pessoa corre o risco de morrer a caminho da capital. Manacapuru está abandonada”, reclamou a pescadora artesanal Francy Carla Passos, 34, moradora do bairro Correnteza.

Lixo e buracos

O problema dos buracos nas ruas da cidade é tanto que alguns comerciantes resolveram realizar o serviço de tapa buracos por conta própria. “Para evitar acidentes, o nosso patrão mandou a gente tampar esses buracos. Ontem mesmo, duas pessoas iam caindo de moto, pois além dos buracos não tem iluminação pública na via” contou o atendente Sílvio Gonçalves da Silva, 43.

Além dos buracos, é fácil encontrar nas ruas de Manacapuru lixo espalhado por todo canto. A coleta seletiva praticamente foi suspensa e o lixão da cidade, que fica as margens da rodovia que liga Manacapuru a Novo Airão, está completamente em desacordo com a Lei federal 12.305/10, que trata da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Saúde

A atenção básica de saúde também tem sido alvo de reclamação dos moradores. Segundo uma dona de casa que ficou com medo de dizer seu nome, o Hospital Lázaro Reis – o principal da cidade – não tem médicos nem enfermeiros suficientes para o atendimento. Segundo a moradora, algumas Unidades Básicas de Saúde (UBS) estão fechadas por falta de remédio.

Ruas estão cheias de buracos e moradores acabam tapando por conta própria

Prefeito se defende

Mesmo diante das inúmeras reclamações da população, o atual prefeito garantiu ter feito um bom trabalho na cidade e que vai entregar a prefeitura para a próxima gestão com saldo positivo.

“A prefeitura vai receber uma repatriação do Governo Federal nesta sexta-feira (30). Esse valor, que é significativo, vai ficar para a próxima gestão. Então, não vamos deixar a prefeitura no vermelho. Apenas alguns funcionários da saúde estão sem receber, mas o dinheiro já está na conta”, afirmou Jaziel Nunes, que ainda justificou o atraso do pagamento de funcionários, ao fato das contas da prefeitura terem sido bloqueadas pela Justiça.

Prefeito eleito traça prioridades
O prefeito eleito de Manacapuru, o empresário Beto D´Ângelo (Pros), disse que o primeiro ato de sua gestão, a partir de 1º de janeiro, será limpar a cidade e melhorar os atendimentos de saúde.

“A prioridade, hoje, é a coleta de lixo e a saúde. Temos muitos projetos para fazer em Manacapuru, mas nesse primeiro momento estes dois pontos serão tratados como emergência”, prometeu o prefeito eleito.

D´Ângelo disse, ainda, que em um prazo de 90 dias os serviços públicos da cidade já irão apresentar melhorias significativas à sociedade.
“Já temos um plano emergencial para a saúde. Creio que, em 10 dias, as cirurgias eletivas e as ortopédicas já estarão sendo feitas no hospital do município. Acredito que em 90 dias nos teremos um efeito muito positivo na cidade”, destacou.

Mara Magalhães do Em Tempo

você pode gostar também